‘Tudo que tenho foi Mirandópolis que me deu, cheguei praticamente do nada e formei uma grande Família’, lembra Bizaio

‘Tudo que tenho foi Mirandópolis que me deu, cheguei praticamente do nada e formei uma grande Família’, lembra Bizaio

Um apaixonado por esporte e Mirandópolis, esse é Odercio Bizaio, que cresceu em São José do Rio Preto e foi goleiro do Rio Preto e América. Mas sua vida não foi só esporte, pelo contrário, seu primeiro emprego foi aos 7 anos de idade, em um armazém, onde ficou por muitos anos. Aos 18 anos foi convocado para servir o exército em Brasília para trabalhar no Batalhão da Guarda Presidencial, após quase dois anos voltou para Rio Preto para atuar nas Casas Pernambucanas, onde rodou por mais de sete cidades como gerente até conhecer Mirandópolis, onde montou a Tecido Mirandópolis em 1978.

AGORA NA REGIÃO: Onde passou sua infância?
Bizaio: Nasci em Bady Bassitt, em 1946, mas sempre morei em São José do Rio Preto. Lá comecei a trabalhar, por incrível que pareça, aos sete anos de idade em um armazém, onde fiquei até os 14 anos. Daí depois fui fazer as minhas caminhadas, primeiro com esporte, onde joguei futebol (foi goleiro) no infantil e juvenil do Rio Preto e no amador do América. Na sequência comecei a trabalhar nas Casas Pernambucanas e aos 18 anos fui pro exército em Brasília, para trabalhar no Batalhão da Guarda Presidencial. Fiquei um ano lá e foi muito bom, gostava muito da cidade e também praticamente vivia do esporte, jogando na Seleção do Batalhão. Sinto saudades dessa época.

AGORA: Daí voltou pra Rio Preto?
Bizaio: Isso, daí quando voltei do exército fui trabalhar novamente na Pernambucanas, fiquei um ano em Rio Preto e depois fui praticar gerência, isso em 1971. Fui gerente em Campinas, São Carlos, Jaú, Franca, Orlândia, São José do Rio Preto, Fernandópolis e Três Lagoas. Nessas andanças um belo dia encontrei o Vanderci, que era gerente da unidade Mirandópolis, e fomos para uma reunião em Araçatuba. Na volta o movimento nas ruas me chamou atenção e comentei se ele achava que valeria a pena abrir uma loja em Mirandópolis, na hora ele respondeu: vai dar dinheiro. Foi quando eu e dois sócios vasculhamos a cidade e alugamos no outro dia um salão na Rua 9 de Julho, 967, e montamos a loja no dia 26 de maio de 1978.

AGORA: E a loja engrenou de vez?
Bizaio: Graças a Deus crescemos, com muita ajuda da população de Mirandópolis e de toda região. Naquela época podemos dizer que era da vaca gorda, consegui juntar um dinheiro, fui muito feliz em montar o negócio aqui. Ficamos nesse endereço e depois de alguns anos mudamos a loja para onde estamos hoje.

AGORA: Além do comércio, sua outra paixão é o esporte?
Bizaio: Sempre gostei e acompanhei principalmente o futsal de Mirandópolis. Agora que estou mais devagar, mas é algo que digo que é fundamental para desenvolvimento da cidade, pois é muito importante para a questão social e educacional.

AGORA: Recentemente passou por dificuldade de saúde?
Bizaio: Passei por um grande desafio, mas sempre acreditei em Deus e tenho muita fé, isso é fundamental. Quero aproveitar para agradecer a meus amigos que oraram muito por mim, tenho certeza disso, só tenho que agradecer.

AGORA: Algum conselho para quem pensa em abrir um comércio?
Bizaio: Queria dizer que na vida é preciso ter coragem para trabalhar, esse é o segredo. Quem está começando vá com calma porque as coisas estão devagar, mas pesquise as oportunidades da cidade, veja se está precisando de certo serviço ou produto, se achar que tem um espaço agarre a oportunidade. Mas saiba que nem tudo é sucesso, eu já abri uma loja, lá em Presidente Venceslau, que não deu certo.

AGORA: Para finalizar, você ama Mirandópolis?
Bizaio: Tudo que eu tenho foi a cidade de Mirandópolis que me deu, cheguei aqui praticamente do nada e formei uma grande Família.