Carlos Weverton prorroga por seis meses contrato com empresa responsável pela reforma da praça

Carlos Weverton prorroga por seis meses contrato com empresa responsável pela reforma da praça

O prefeito interino Carlos Weverton Ortega Sanches (MDB) prorrogou por mais seis meses o contrato administrativo com a empresa Concresp Empreendimentos, responsável pela reforma da praça Manoel Alves de Athayde. Segundo a publicação no Diário Oficial da Prefeitura, a prorrogação se estende até 5 de fevereiro de 2020. O contrato venceu em 05 de agosto de 2019.

A publicação do quarto termo de aditamento foi publicado nesta segunda-feira (19), apesar de o documento exibir a data de assinatura em 2 de agosto.

A reportagem entrou em contato com Sanches para saber os motivos que o levaram a prorrogar o contrato por mais seis meses. Por telefone, o prefeito se limitou a dizer que o jornal deve protocolar na Prefeitura os questionamentos sobre o assunto.

INVESTIGAÇÃO

A reforma da praça central vem se arrastando desde ano passado, quando foi iniciada no governo da ex-prefeita Regina Mustafa (PV).

A obra chegou a ficar paralisada durante uma investigação da Câmara Municipal por possível cometimento de infração político-administrativa de Mustafa. Quem pediu a investigação foi o vereador Matias dos Santos Evarde (MDB).

Na época, foram a favor da investigação os vereadores Afonso Carlos Zuin (PSDB), Luciano Bersani (PTB), Nivaldo Aparecido Ribeiro (SD), Carlos Weverton Ortega Sanches (MDB), Tiago Soares da Silva (PP), Yukio Abe (PRB) e o suplente Jairo Amorim (MDB).

Uma Comissão Processante formada por três vereadores foi criada para apurar possíveis irregularidades. Por sorteio, o relator da CP foi Wellington Brito (PV). Em seu parecer não ficou comprovado nenhum ato ilícito praticado pela ex-prefeita. O vereador Yukio Abe o acompanhou no voto, já Bersani fez um parecer separado pedindo a cassação. Com a maioria dos votos, a Comissão pediu o arquivamento da denúncia.

O julgamento seguiu para o plenário, em maio deste ano, e foi julgado pedido de cassação contra a prefeita, o que não acabou ocorrendo pois não atingiu os dois terços dos votos favoráveis necessários.  

Votaram pela absolvição os vereadores Almir Marini, Wellington de Brito de Oliveira, Nivaldo Aparecido Ribeiro e Yukio Abe. Já Luciano Bersani, Afonso Carlos Zuin, Tiago Soares da Silva, Jairo Amorim e o próprio Carlos Weverton votaram pela cassação. Após oito horas de julgamento, Mustafa foi absolvida.

De lá para cá, nenhuma outra reforma foi feita no local, exceto a restauração da fonte luminosa que, segundo o prefeito interino Carlos Weverton, ocorreu de forma voluntária. A fonte não faz parte do projeto de revitalização da praça.

Prorrogação de contrato foi publicada no Diário Oficial da Prefeitura nessa segunda-feira (19)