Mirandópolis e Takaoka, uma relação de cidade coirmãs

Mirandópolis e Takaoka, uma relação de cidade coirmãs

Arigatou. Sayounara. Konnichiwa. Possivelmente você já falou um obrigado em japonês, não é mesmo? Para Yu Neyoshi, 35 anos e morador de Takaoka, esse é seu desafio em Mirandópolis: ensinar a língua japonesa. Professor de inglês há 12 anos no Japão, Neyoshi está na cidade desde abril de 2018 trabalhando na escola de língua japonesa Takaoka-Mirandópolis.

“Só conhecia o Brasil por pesquisas na internet. Infelizmente encontrava muita informação de violência e perigo. Além disso, escutava falar de futebol, principalmente do Santos”, lembra Neyoshi. Sobre Mirandópolis, o professor revela que realmente conhecia pouca coisa sobre a cidade, sendo que as principais informações obtidas foi por meio de um amigo professor que deu aula na cidade. “Ele me falava que era uma cidade pequena de tamanho, mas muita acolhedora pelo seu povo”, recorda.

No Brasil, ele já viajou para Rio de Janeiro e Foz de Iguaçu, sendo que as duas cidades chamaram muita atenção pela beleza da natureza. “Adorei passear no Brasil, realmente passei por locais maravilhosos. A única dificuldade que tive foi quando fiquei doente e precisava especificar o que estava sentido de forma mais direta, foi difícil detalhar os sintomas, mas fora isso não tenho dificuldade”, comenta. Neyoshi, que vai ficar no Brasil até março de 2020, confessou no final da entrevista que adora feijoada.

Brasil e Japão
De acordo com a história da irmandade entre Takaoka e Mirandópolis, tudo começou em 1974, quando um grupo de cidadãos mirandopolenses foi convidado pelo presidente da empresa Hokuriku Aluminium Co., Sr. Saburo Arai para visitar as instalações da industria no Japão. A parceria resultou na implantação da empresa Alumínios Nitinam que prestou serviços por longos anos no trevo de acesso à rodovia Marechal Rondon (SP-300) e mantém até hoje a Escola de Língua japonesa Takaoka oferecendo aprendizado às crianças, jovens e adultos. Para isso, Takaoka tem enviado, com regularidade, um professor da língua japonesa.