Voluntários doam “tempo e amor“ no Hospital Estadual de Mirandópolis

Voluntários doam “tempo e amor“ no Hospital Estadual de Mirandópolis

Voluntário é a pessoa que, devido a seu interesse pessoal e ao seu espírito cívico, dedica parte do seu tempo, sem remuneração alguma, a diversas formas de atividades, organizadas ou não, de bem-estar social, ou outros campos. Essa definição de voluntário demonstra exatamente o trabalho de cinco amigos que dedicam três dias da semana em fazer o bem no Hospital Estadual de Mirandópolis.

Os voluntários se reúnem toda terça e quinta, das 8h às 10 horas, e na quarta-feira, das 13h30 às 15:30, na sala de espera do hospital para servir chá e bolacha aos pacientes e acompanhantes.

“Tenho esse objetivo em mente há muito tempo porque acompanhei meu marido por muitos anos no hospital em São Paulo. Passávamos muitas horas na sala de espera e tomar um chá, lembrando que muitas vezes você chega bem cedo no hospital, de uma certa forma acalenta”, explica Beth Antunes, coordenadora do trabalho voluntário que iniciou em novembro de 2018 junto com seu marido Valmir Antunes.

Para Celso Martins, enfermeiro do hospital, o acolhimento realizado pelos voluntários contribui de forma positiva com os pacientes que estão à espera do atendimento. “A grande maioria de quem está aqui deixa suas cidades de madrugada, por isso que digo que ter um acolhimento ameniza de certa forma com esse trabalho realizado por esse grupo de pessoas”, analisa Martins.

A voluntária Lucia Fioravante comenta que além de servir comida e bebida, elas consideram que prestam um serviço social porque passam horas conversando com o paciente para tentar amenizar dor e angústia. “Vem gente de muitas cidades, algumas de bem longe e até outras que passam anos visitando mensalmente o hospital. Elas chegam bem cedo e a conversa também ajuda de alguma forma a incentivar a recuperação. Além disso, nós aprendemos muito com essa conversa na troca de aprendizado”, acredita Lucia.

Vania Vital e Val Bertelli reforçam que o projeto está aberto para novos voluntários e colaboradores. “Quem tiver interessado em ajudar pode comparecer diretamente no hospital e conversar com a gente. Não temos nenhum vínculo, seja político ou religioso, e quanto mais gente tiver para ajudar melhor vai ser”, finaliza Vania, que completa agradecendo alguns colaboradores como Maruca, Losane e Antonio Roberto, Aurea, Nutribem, Guto da Livraria, Mini Shopping Multi Preços e Loja Maçonica Acácia.

*Legenda da foto: Vania, Beth, Lucia, Val e Valmir prestando serviço voluntário no Hospital Estadual de Mirandópolis