Mirandopolense Marcos Hidalgo supera marca de 14 vitórias e 52 troféus em corridas de rua

Mirandopolense Marcos Hidalgo supera marca de 14 vitórias e 52 troféus em corridas de rua

Vencer 14 provas em diversas cidades da região e levar para a casa 52 troféus não é para qualquer um. É preciso muito treino e foco para atingir essa marca.

Isso foi possível para o atleta de Mirandópolis, Marcos André de Freitas Hidalgo, 28 anos. Com esse currículo, ele fez o nome da cidade alcançar o lugar mais alto do pódio e ficar conhecida na modalidade regionalmente.

O atleta, que sempre disputa troféu na classificação geral, lembra das competições nesses três anos e meio que se dedica ao esporte. Algumas ficaram marcadas em sua vida como, por exemplo, a primeira corrida, em 2016, em sua terra natal.

Em todas as provas regionais que competiu só não conseguiu subir no pódio uma única vez, isso porque contou com a “ajuda” da polícia local que o levou para o trajeto errado.

Mesmo com algumas adversidades que encontrou pelo caminho, como a contusão em seu braço, nada o impediu de prosseguir e atingir marcas invejáveis como os 16min55seg em percurso de 5 quilômetros em Três Lagoas (MS), 35min29seg nos 10 quilômetros em Birigui (SP) e 14 quilômetros em 52min19seg em Bauru (SP).

Em entrevista ao jornal, Hidalgo deu detalhes sobre sua trajetória e contou sobre sua experiência em poder participar por duas vezes da Corrida de São Silvestre, o maior evento da categoria na América do Sul. Confira.

Quando e como iniciou a paixão pela corrida?

Sempre gostei de correr, mas nunca havia treinado para corrida de rua, só jogava futebol. Aqui na cidade tem como tradição a Corrida de São João, que acontece nos festivos de aniversário. Em 2016 fui desafiado pelo meu cunhado a participar desta prova. Lembro- -me que no dia anterior tinha jogado futebol e mesmo assim fui e terminei a prova em 10º lugar no geral e 3º na minha categoria. Daí percebi que levava jeito.

Quantos troféus você já conquistou?

Em todas as provas que participei subi ao pódio, só não em uma, quando estava liderando a prova e a polícia da cidade me levou pro caminho errado. Já participei de 53 provas, tenho 52 troféus e já ganhei 14 provas nas cidades de Araçatuba, Três Lagoas, Mirandópolis, Murutinga do Sul, Ilha Solteira, Pereira Barreto e Birigui. Também já corri duas São Silvestre, na cidade de São Paulo.

Qual sua inspiração para correr?

Difícil falar qual minha inspiração para correr, depende muito do dia. Eu gosto de vencer, sou muito competitivo, mas acho que minha maior inspiração são as pessoas que se espelham em mim, recebo muitas mensagens de apoio, e se hoje eu não parei é por causa delas.

Qual foi seu melhor tempo e onde ocorreu?

Meus melhores tempos aconteceram em 2019 após uma fratura que tive no braço, foi um momento difícil, muita coisa passou na cabeça, mas voltei com tudo. Fiz 16min55seg nos 5 km em Três Lagoas e 35min29seg nos 10 km em Birigui, além de 14 km em 52min19seg na cidade de Bauru.

Como você arca com os custos de viagens e inscrições?

Eu mesmo tiro do bolso para pagar as inscrições das corridas e as despesas da viagem, mas tenho apoio no fortalecimento que é da academia Corpo e Ação, da Mônica Ainhagne. Tenho auxilio do nutricionista Matheus Bettone e tenho um treinador de corrida chamado Leonardo Duarte, de Castilho. Aproveito para agradecê-los.

Você possui alguma assessoria esportiva que te auxiliar nos treinos?

Tenho uma assessoria, chamada Evolution Team de Castilho, que é do Leonardo Duarte e sua esposa Sandra, desde 2017. Aprendi muito com eles e ainda vou aprender muito mais, são pessoas excepcionais que sabem muito do assunto.

Onde ocorrem seus treinamentos?

Os locais mais comuns que eu treino são nos acostamentos da vicinal Neif Mustafa e da rodovia Marechal Rondon e uma estrada de terra saindo do bairro Esplanada, à beira de uma plantação de cana.

Quantas atletas fazem parte de seu time Pé de Cana?

Somos em 14 membros na equipe, sendo sete daqui de Mirandópolis. Equipe essa que tem como capitão meu treinador Leonardo Duarte. Somos destaque na região e levamos esse nome pelo fato de corrermos no meio da cana.

Qual foi a prova considerada por você a mais difícil de se completar?

Foi a última Corrida de São Silvestre nos 15 km. Pela primeira vez, senti uma dor no joelho a partir do 6° quilômetro da prova, o que acabou prejudicando minha corrida.

Como foi participar da São Silvestre?

Inenarrável. Participar de uma foi sensacional, de duas então… Você estar no meio de 35 mil pessoas, todas aquelas pessoas que fazem o mesmo que você é muito contagiante, uma corrida que envolve mais que os corredores, envolve as pessoas do lado de fora incentivando para que você não pare. Em 2017 fiz o percurso de 15 km em uma hora. Já em 2019 conclui a prova em 1h5min. Espero voltar mais vezes e trazer uma melhor colocação para a cidade.

Foto de capa: Marcos Hidalgo possui no currículo 14 provas vencidas e 52 troféus conquistados, todos guardados em sua casa. Foto: Vinicius Macedo

Atleta de Mirandópolis coleciona vitórias em 14 provas na região e mais de 50 troféus. Foto: Divulgação/Malaquias Fotografia
Marcos correu a São Silvestre em duas oportunidades, em 2017 e 2019. Foto: Divulgação