Preso da penitenciária de Mirandópolis morre por covid-19, diz sindicato

Preso da penitenciária de Mirandópolis morre por covid-19, diz sindicato

Um detento da Penitenciária I Nestor Canoa, de Mirandópolis, morreu na terça-feira (21) por covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus, segundo informou o Sindicato dos Funcionários do Sistema Prisional do Estado de São Paulo (Sifuspesp). Em comunicado publicado no site oficial, o sindicato diz que a causa da morte seria coronavírus após um médico que realizou o atendimento atestar a doença. A Secretaria de Administração Penitenciária (SAP) e a prefeitura confirmaram a morte. Exames para contraprova são aguardados.

Ainda conforme a nota, a direção do sindicato teria recebido denúncia da confirmação de contágio deste detento no último dia 18. O preso era da cela 121, e todo o raio um da unidade teria sido interditado.

O sindicato diz ainda que essa é a segunda morte registrada por coronavírus entre detentos do sistema prisional paulista. A primeira foi de um detento da Penitenciária II Dr. Antonio de Souza Neto, de Sorocaba, que apresentava comorbidades que pioraram o quadro clínico, pois ele era hipertenso e fazia tratamento de próstata. A causa da morte por covid-19 foi confirmada no último dia 19 de abril pela prefeitura do município e reconhecida pela Secretaria de Administração Penitenciária (SAP), diz o comunicado.

Ainda conforme a nota do sindicato, houve ainda uma terceira morte na Penitenciária de Lucélia, mas o caso é suspeita de contágio e o sindicato aguarda confirmação se o motivo foi ou não o coronavírus. O detento está entre os três sentenciados que morreram na unidade na semana entre os dias 13 e 17 de abril.

Mais detalhes na edição de sexta-feira, no jornal impresso.