Fase laranja: moradores questionam aglomeração em bares; e Andradina diferencia regras do Plano São Paulo

Fase laranja: moradores questionam aglomeração em bares; e Andradina diferencia regras do Plano São Paulo

Depois de quase um mês, o comércio de Mirandópolis, que está enquadrado na região de Araçatuba, voltou a trabalhar na fase Laranja da quarentena do programa estratégico do Estado de São Paulo. Isso permitiu que lojas comerciais, escritórios, imobiliárias e concessionárias de veículos passem a funcionar adotando medidas preventivas contra o novo coronavírus.

Ainda não está permitida abertura de casas noturnas, galerias e estabelecimentos congêneres, academias e centros de ginástica. Por enquanto as escolas estão com as atividades presenciais suspensas, seguindo decisão do Governo do Estado.

Padarias, cafés, bares e restaurantes ainda estão suspensos o consumo local de produtos nesses ambientes. As pessoas podem comprar e, em seguida, devem deixar o local. Não é permitido o consumo em mesas e balcões. O decreto autoriza que esses estabelecimentos façam entrega (delivery) e/ou drive thru.

Indústrias e fábricas estão autorizadas a funcionar, pois não fazem atendimento direto ao público. O seu funcionamento deverá obedecer às regras sanitárias estipuladas por portaria do Ministério da Saúde. Já igrejas, templos e centros de atividades religiosas estão com missas, cultos e celebrações religiosas suspensos. No entanto, esses locais podem continuar abertos para receber seus fiéis e suas atividades com a comunidade, sempre respeitando as normas estabelecidas pelo Ministério da Saúde para combate à doença.

Para voltar à fase laranja, segundo o governo, a região de Araçatuba teve uma estabilização da ocupação de leitos e também uma estabilização de casos, internações e óbitos. Os estabelecimentos devem funcionar com até 20% da capacidade de atendimento seguindo todos os protocolos sanitários.

MORADORES RECLAMAM DE AGLOMERAÇÕES

Em Mirandópolis, uma reclamação constante dos moradores foi em relação aos funcionamentos dos bares, já que em muitos locais estavam gerando aglomeração principalmente nas calçadas dos estabelecimentos.

“Se os agentes de saúde juntamente com o prefeito não tomarem as decisões drásticas principalmente em bares onde que é o foco principal, que entram pelos fundos e se aglomeram pessoas idosas e de alto risco, esses números só tendem a avançar, pois não a consciência de ambas as partes. Cobrem uma multa bem alta onde vai doer mesmo no bolso de cada um, não importa quem seja, quem sabe pode melhorar”, ressaltou Maria Evangelista em comentário nas redes sociais.

Lucia Alves de Araujo reforçou na sequência que as pessoas não estão respeitando já que os bares continuam aberto “Não se cuidam (pessoas) e ficam andando à toa nas ruas sem máscaras, ficam em aglomeração fazendo festa, infelizmente vai aumentar cada dia mais os casos”, alertou

FLEXIBILIZAÇÃO EM ANDRADINA

A Prefeitura de Andradina oficializou um novo decreto informando que o comércio funcionará das 10h às 16h, de segunda a sexta-feira, e das 8h às 13h, aos sábados. Além disso, o decreto municipal permite atendimento presencial em bares e restaurantes, o que só tem previsão que possa acontecer na fase amarela, e com restrições sanitárias rígidas. Vale lembrar que a cidade também está na fase Laranja do Plano SP.

Segundo consta no documento, restaurantes, lanchonetes, trailers e foodtrucks deverão encerrar atendimento presencial, impreterivelmente, às 23 horas, funcionando, após esse horário, apenas no sistema de delivery, devendo, durante o horário de atendimento presencial, respeitar a lotação máxima de 50% da capacidade prevista no A.V.C.B. (Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros) e não mais do que seis horas de funcionamento ininterrupto.

Bares, conveniências e demais estabelecimentos que atuem preponderantemente no comércio varejista de bebidas alcoólicas deverão encerrar atendimento presencial, com ingresso de consumidores no estabelecimento e consumo no local, impreterivelmente, às 18h, funcionando, após esse horário, apenas como ponto de retirada e delivery, observando-se, também com a lotação máxima de 50%.

Em relação ao shopping center, o decreto da prefeita Tamiko Inoue afirma que ele poderá operar diariamente, como de costume, no horário compreendido entre às 12h e às 20h, no que se refere às lojas, podendo, por disciplina interna própria, adotar expediente mais reduzido; quanto à praça de alimentação, poderá ser seguido a mesma regra de bares e restaurantes, sendo possível, também nesse caso, reduzir-se o atendimento por disciplina interna própria.

Já os supermercados da cidade, e similares, poderão funcionar de segunda-feira a sábado, de até às 20h, e, aos domingos, até às 13h. Ainda, de acordo com o decreto, o serviço de estacionamento rotativo pago, concedido à iniciativa privada, retomará seu funcionamento a partir de 3 de agosto de 2020.