‘Estou pronto pessoalmente e politicamente para esse novo desafio’, confirma Wellington Brito

‘Estou pronto pessoalmente e politicamente para esse novo desafio’, confirma Wellington Brito

O jornal AGORA NA REGIÃO fecha a série de entrevistas com os candidatos a prefeito para as eleições municipais do dia 15 de novembro. Estabelecendo como critério ordem alfabética, o primeiro a conceder entrevista foi David Boaventura da Silva, candidato pelo PSDB. Na sequência o entrevistado seria Everton Sodario (PSL), mas o atual prefeito de Mirandópolis recusou o convite para falar sobre sua campanha eleitoral. Agora, a entrevista será com Wellington Brito, candidato a prefeito pelo Partido Verde, confira abaixo.

Na última eleição que participou você recebeu 490 votos para o pleito de vereador. O que faz acreditar que pode ganhar a eleição para prefeito?
O trabalho desenvolvido durante os quatro anos como vereador. Fui um vereador atuante porque sei que a minha função é criar projetos de lei, indicar os problemas ao prefeito, fiscalizar de uma forma geral e trazer emendas. Todas essas proposituras acredito que foram feitas por mim na legislatura. Estar presidente da Câmara, em 2020, me fez confirmar que posso fazer uma boa gestão como prefeito.

A campanha para vereador é diferente da campanha para prefeito. O que tira de lição para essa campanha em comparação a última disputa?
Realmente são poderes independentes, o vereador legisla e o prefeito executa. Essa diferença de papeis e obrigações me deu experiência porque sempre acompanhei de perto o trabalho dos prefeitos que passaram pelo executivo. A principal lição que tiro da última campanha para essa é a importância de ser unido, tendo sempre postura nas decisões.

Mirandópolis tem alguns problemas crônicos como o aterro sanitário (lixo) e o prédio do novo Fórum. Como você acredita que pode resolver essas questões?
Isso é algo que precisa ser resolvido de imediato pelo próximo prefeito de Mirandópolis. O Fórum realmente precisa ser inaugurado com a máxima urgência. O próximo chefe do executivo precisa marcar uma reunião com o governador João Dória para fechar os ajustes finais para fazer essa inauguração. A questão do Lixão, como é popularmente conhecido, é uma questão de urgência porque temos uma área comprada, que foi adquirida pelo governo da Regina Mustafa, e o próximo prefeito precisa ver porque tem uma despesa do município de cerca de R$ 100 mil por mês para levar o lixo para fora. O poder executivo precisa olhar com carinho, sem dúvida serão prioridades do meu governo.

Seu lema é “É com união que se constrói uma cidade”. Porque usa essa definição na campanha eleitoral?
Usei essa frase porque executivo, legislativo e sociedade precisam caminhar juntos. Se não houver essa união não tem a possibilidade de uma cidade prosperar. E digo mais, utilizei porque meu lema de vida é o diálogo e a união, não o extremismo. Sem união não tem como caminhar, fui direto em um dos principais pontos que precisamos trabalhar.

Uma área carente é a Cultura. Em seu plano de governo, você afirma que vai incentivar todos os movimentos de expressão cultural. Assim como criar um calendário para organizar os eventos. Quais ações serão realizadas na prática?
A cultura do nosso munícipio vem sendo muito cobrada nos últimos meses, isso é fato. Precisa de uma pessoa técnica na direção, sendo que ela precisa ter conhecimento e vontade de trabalhar nas diferentes culturas da nossa cidade. Essa pessoa precisa olhar com bons olhos todos que atuam na área de alguma forma, não diferenciar. Nos temos talentos que não são desenvolvidos. Como prefeito vou cobrar meu diretor ou diretora para que de uma atenção ampla na cultura, não focar somente em um segmento. Um exemplo, não podemos esquecer do artesanato da Terceira Aliança, é isso que quero dizer, precisamos olhar de uma forma geral.

Também no plano de governo, você diz que vai “iniciar estudos para captação e armazenamento das águas oriundas das enxurradas para reutilização”. Poderia explicar melhor essa proposta?
Apesar de muitos acharem que a cidade não tem se desenvolvido, penso o contrário, pois estamos vendo loteamentos sendo feitos e construções em vários pontos da cidade. O próximo prefeito precisa pensar em algo para que a água não acabe em nosso município como estamos vivenciando nesse momento. Com a seca fica claro que precisamos de um plano para captação e armazenamento de água, assim como gestão para termos novos poços artesianos.

O abastecimento de água é um dos atuais problemas do mirandopolense. No seu plano você fala sobre substituir as redes por tubos de PVC, assim como construir uma estação de esgoto no Santa Rosa. Qual é a sua proposta para resolver o problema?
O próprio município resolver isso acredito que não, pois a questão financeira nessa questão não é simples. Para isso precisamos de parceria, buscar recurso Federal e Estadual. Penso que com planejamento em quatro anos resolvemos essas questões. Precisamos trocar toda tubulação porque boa parte é composta por amianto, que é cancerígeno e proibido. Não adiante querer recapear uma rua que esteja com amianto, precisa de gestão para primeiro trocar a tubulação para depois arrumar a rua, esse é o caminho e o plano.

Nos últimos anos temos sofrido constantemente com as queimadas. Você pensa em fazer algo para tornar o atendimento dessas ocorrências algo ainda mais efetivo?
Sem dúvida! Tenho estudado a possibilidade de fazer a brigada de incêndio, inclusive pegando exemplos de cidades parecida com a nossa em habitantes que conseguiram implantar com sucesso. Outra coisa, precisamos de um outro caminhão pipa, não dá para ter só um, já que sabemos que terá meses com mais de um ponto de incêndio no mesmo horário.

Você acredita que a falta de experiência na política do seu vice-prefeito, o Alisson Salesse, pode ser algo que atrapalhe sua eleição?
De maneira alguma, em nada. O Alisson não tem experiência diretamente na política, mas tem em gestão. Em 2010, ele montou um comércio e vem muito bem, se não soubesse fazer gestão não estaria com ela aberta depois de 10 anos. Um detalhe, o Alisson entrou no PV antes que eu, ou seja, ele acompanha há muitos anos de perto a política de nossa cidade e está completamente pronto para ser vice-prefeito.

Qual a mensagem que deixa aos seus eleitores?
Confie em meu trabalho, me preparei para ser candidato a prefeito por Mirandópolis.  Ganhei uma eleição em 2016, em 2017 como vereador não fiquei sentado, procurei estudar, me forme em Gestão Pública e sou o atual presidente da Câmara. Tenho me preparado para esse novo desafio, a mensagem é que estou preparado para assumir a prefeitura de Mirandópolis.

Wellington Brito e Alisson Salesse. Foto: Divulgação