‘Ações sociais serão base do meu trabalho’, confirma o vereador eleito Roberto Gonçalves

‘Ações sociais serão base do meu trabalho’, confirma o vereador eleito Roberto Gonçalves

Iniciamos uma série especial de entrevistas com os vereadores eleitos de Mirandópolis para a gestão 2021 / 2024 para conhecer suas intenções durante seu mandato. O critério utilizado para escolha foi por quantidade de votos recebidos, sendo assim o primeiro entrevistado será Roberto Gonçalves, que é filiado ao PDT.

Pode contar um pouco da sua história. É casado e tem filhos? Sempre morou em Mirandópolis? Onde estudou e trabalhou?
Sou casado com Sonia Maria da Silva Gonçalves, tenho três filhas (Cecilia, Ana Carolina e Natália) e quatro netos (Enzo, Ana Clara, Isabel e Elisa). Nasci no Hospital das Clinicas de Mirandópolis, cidade onde sempre morei. Fui engraxate, office boy e vendedor, há muitos anos atuo como contabilista.

Como define as funções do vereador?
Na minha visão legislar como vereador é fiscalizar e fazer projetos, sempre em harmonia com o executivo. O vereador tem por obrigação e direito constitucional fiscalizar todos os serviços da prefeitura. Passando pela contabilidade e conta financeira, assim como as atitudes do prefeito, mas sempre com harmonia

Acompanha as sessões da câmara?
Já entrei várias vezes na câmara, mas para falar a verdade para acompanhar a sessão foi apenas uma vez na minha vida. Além dessa oportunidade, estive na câmara em 2016, quando fui honrado com o titulo honorifico de Mirandópolis.

Tem noção da dinâmica do legislativo?
Tenho um pouco de conhecimento, não tenho todo conhecimento porque na verdade nunca imaginei que poderia ser um candidato a vereador. Vou aprender na prática as questões mais técnicas e práticas.

Qual foi o principal tema da sua campanha? Teve alguma proposta ideológica?
Escolhi o slogan ‘Mirandópolis quer honestidade e trabalho com amor ao próximo’, que mandei para o Luiz Antonio Zardini, diretor do Hospital do Amor de Barretos, que resumo o que faço junto com o Hospital do Amor. Engraçado que nesse período de campanha fizeram uma música, o Gerson Possenti e Gerval, que representa o que faço diariamente nos contatos com hospital e pacientes. Essas ações sociais serão uma base do meu trabalho, mas terá muito mais para fazer em prol do nosso município.

O que você quer fazer de diferente nesses quatro anos como vereador?
O tempo de escolha para ser candidato até a eleição foi muito curto para criar um planejamento, vou ser sincero. Vou trabalhar para ser uma inovação. Sei que por ser o mais votado serei o presidente da sessão de posse, depois vamos compor junto com os outros vereadores as questões de presidência e secretários. Vamos ouvir as pessoas e buscar inovações e bons exemplos.

Tem algum projeto que pretende colocar em prática em 2021?
Como disse, o social será uma base. Trabalho forte com o Hospital do Amor, mas tenho um trabalho longo com outras entidades. A Apae começou a nascer em 1974, sendo a fundação em 1975, sendo que eu, Chico Pim e Laercio Bomtempo datilografamos o estatuto da Apae. O primeiro leilão foi em 1979, que nasceu com o Geraldo Delai, mas nesses muitos anos já fizemos leilão em Lavínia, Valparaiso, Guararapes, Ilha Solteira, Murutinga do Sul, Guaraçaí e Pereira Barreto. Aqui em Mirandópolis são quatro leilões por ano (Apae, Hospital do Amor, Igreja e Amai), então temos essa base social, mas pretendo criar novos projetos durante meu mandato.

Algum ponto específico em um bairro ou algum problema mais grave que merece uma atenção especial assim que tomar posse?
O executivo precisa de uma atenção especial para as Alianças e Amandaba, assim como para os bairros mais carentes do município. Tem que dar uma atenção para a área rural, tem lugar com muito sofrimento. Esse povo merece ser bem tratado, se sair nos bairros vai ver o que tem de pobreza em Mirandópolis.

Qual mensagem deixa para os mirandopolenses?
Quero agradecer o povo querido de Mirandópolis, pois foi aqui que cresci e criei família. A minha caminhada na campanha demorou um pouco para iniciar, só comecei no dia 25 de outubro, então não consegui andar todos os bairros, fui mais esporadicamente em algumas casas e não tive cabo eleitoral, as ajudas foram espontâneas. Fico feliz pelo resultado porque é fruto do trabalho de anos que fazemos para a sociedade. Tenho que agradecer a Dona Tereza, da Primeira Aliança, uma heroína. O Dirceu Barbosa, Seu Deusdeth, a Rosa e o Seu Lucindo da Segunda Aliança. No Amandaba foi uma receptividade muito grande. Só tenho o que agradecer, muito obrigado.