‘Falta interesse da população em interagir com o legislativo’, explica o vereador reeleito Afonso Carlos Zuin

‘Falta interesse da população em interagir com o legislativo’, explica o vereador reeleito Afonso Carlos Zuin

Iniciamos uma série especial de entrevistas com os vereadores eleitos de Mirandópolis para a gestão 2021 / 2024 para conhecer suas intenções durante seu mandato. O critério utilizado para escolha foi por quantidade de votos recebidos, sendo assim o nono entrevistado é Afonso Carlos Zuin, que é filiado ao PDT.

Pode contar um pouco da sua história. Sempre morou em Mirandópolis? Onde estudou e trabalhou?
Nascido e criado em Mirandópolis, como profissional estou atuando há 42 anos no município. Estudei no Dr. Edgar e Noêmia, sendo que a faculdade de odontologia foi em Lins. Morei por quatro anos lá, depois de formado voltei e comecei a trabalhar.

Qual foi o principal tema da sua campanha? Teve alguma proposta ideológica?
Firmei um compromisso de transparência e honestidade. Conhecendo como é o ritmo do legislativo, é complicado fazer promessa, então assumi compromisso. Durante os quatro anos desse segundo mandato é isso que vou cumprir.

Você foi eleito, isso é um sinal que o povo confia no seu trabalho?
Entendi o motivo de não ter tido a mesma votação de 2016 porque tiveram novos candidatos e propostas. A população queria renovação, com presença de mulheres na câmara. Aceito a minha vitória respeitosamente, pois é a lei eleitoral. Essa mesma lei que me deixou fora em 2012, é a que me colocou em 2020.

Os comentários pós eleição por você não estar entre os nove mais votados te chateou de alguma forma?
Fiquei um pouco assustado com alguns depoimentos que ouvi sobre a minha reeleição. Até fiz um pronunciamento, pois em 2012 fiquei de fora e fui o sexto vereador mais votado. Nem por conta disso agredi o caráter e a moral de ninguém. Quem participa de um pleito eleitoral precisa saber a regra do jogo. Fiquei na sexta posição em 2012 e não fui eleito, porque agredir as pessoas por isso? Faltou respeito, porque estive o tempo inteiro quieto e não gostei do que fizeram comigo depois dessa eleição.

O que você quer fazer de diferente nesses quatro anos como vereador?
No dia 16 de novembro, após a eleição, os vereadores eleitos foram convidados para um café da tarde com o prefeito Sodario. Estou falando isso porque na última sessão da câmara me mantive em silencio em respeito ao belíssimo discurso do Almir. Não quis pedir uma parte para me pronunciar porque não queria que o Almir perdesse o tom do discurso. Fiquei em silencio, mas achei de uma infelicidade mórbida os esclarecimentos do vereador Tiago Soares. Estive nessa reunião e assumi um compromisso com o prefeito, que estaria presente em todos os atos do executivo, desde que todos estivessem dentro da legalidade e constitucionalidade. E que todos os atos polêmicos, os projetos, que abrisse um dialogo com o legislativo. Foi isso o meu compromisso assumido, mas infelizmente nem todos entendem o que a gente fala.

Mas podemos esperar alguma postura ou ação diferente nesse segundo mandato?
Vou continuar fiscalizando, vou continuar fazendo meu trabalho de esclarecimento para a população. O munícipe é muito leigo em relação ao legislativo. Existe pouco interesse da população em interagir com o legislativo. Com isso a rede social facilita a critica sem conhecimento no assunto.

Tem algum projeto que pretende colocar em prática em 2021?
Vou ser sincero, estou correndo atrás de emenda porque a população entende que o papel do vereador é só ir atrás de emenda. Eu não vejo só isso, o grande papel não é esse. Esse é um aditivo que o vereador pode colocar no mandato. Pretendo colocar em prática alguns projetos que tenho em mente, vamos ver o que vai acontecer. Espero que o executivo cumpra com o compromisso de estar trabalhando em conjunto com o legislativo. Só não posso contar detalhes, pois existem coisas que precisamos ajustar.

Quais os principais problemas do município que precisam de atenção?
Primeiro é saneamento básico. Segundo é a saúde, que precisa de muita atenção. São os princípios básicos para o andamento da cidade.

Como você viu a mudança da direção da saúde (saiu Kathia Zogbi e entrou Vinicius Cunha)
Precoce! Acho precoce porque a diretora que estava era elogiada, daí de repente é tirada do cargo. Como funcionário da saúde posso dizer também que foi uma surpresa. Ela teve um 2020 muito difícil, que ainda não acabou e a população esqueceu disso, isso me preocupa.  Não me preocupa o fato de a população estar esquecendo, o que me preocupa é a fragilidade que a saúde tem para atender. Trazer o povo pra praça, pra multidão, me preocupa, já que as consequências são graves. Ela vinha acompanhando todo esse processo e a saúde sofre uma ruptura. Mas claro que o executivo tem todo direito de escolher seus diretores, nunca vou intrometer diretamente.

Qual mensagem deixa para os mirandopolenses?
Gostaria de desejar um bom natal e um novo ano cheio de esperança para o povo mirandopolense.

Confira todas as entrevista do especial:
Roberto Gonçalves
Grampola
Claudio Morena
Tiago Soares
Magali Cabeleireira
Monica Machado Ijichi
Chutudo
Emerson Comandante
– Afonso Carlos Zuin