Mulheres que inspiram: Eiko Kamijo e Mila Francisco contam trajetória de vida na ‘Semana Mundial do Rotaract’

Mulheres que inspiram: Eiko Kamijo e Mila Francisco contam trajetória de vida na ‘Semana Mundial do Rotaract’

Por Leticia Costa Silva, Júlia Sylos e Mônica Freddi Ramos – Rotaract Club de Mirandópolis

Dia 13 de março é considerado o Dia Mundial do Rotaract, movimento de jovens acima de 18 anos, que visa o desenvolvimento da liderança pela realização de projetos humanitários. Em comemoração à SMR (Semana Mundial do Rotaract), o clube de Mirandópolis realiza o projeto ‘Mulheres que inspiram’, onde várias personalidades da nossa comunidade serão entrevistadas, a fim de conhecermos essas pessoas que influenciam o município, colhendo histórias transformadoras e, verdadeiramente, emocionantes.

Comemorando o mês da Mulher, em março, os associados ao Rotaract Club de Mirandópolis entrevistaram duas personalidades que inspiram este projeto: Eiko Kamijo e Emilia Cherri Francisco, conhecida como Mila. Confira abaixo as histórias.

QUEM É EIKO?

Nascida em 1936, em Mirandópolis, Eiko Kamijo formou em pedagogia e iniciou sua jornada profissional dando aulas no período noturno para adultos, ensinando-os a ler e escrever. Após um tempo, passou a dedicar-se aos alunos de 1° a 4° série, no bairro da Primeira Aliança. Depois foi diretora municipal responsável pelas Três Alianças, de 1999 até 2006, quando aposentou pelo município.

Só que o início dessa jornada começa lá atrás, quando ela concluiu a quarta série aos 10 anos. Seus pais sempre foram preocupados com sua educação, isso foi determinante para que ela se mudasse para Araçatuba, morando em uma pensão de estudantes para se preparar para realizar seu exame de admissão no ginásio e a escola normal. Eiko relata que essa mudança foi bem difícil de lidar, pois era nova e tinha uma grande saudade da família e dos amigos.

O interessante é que a dona da pensão era a Senhora Sugu Katsuda, uma professora formada no Japão. Sua casa era praticamente um centro de ensino, pois ela gostava de transmitir conhecimento e dar assistência necessária como se todos fossem seus filhos. Além de cozinhar magnificamente, ela dava aula de japonês e religião. No fim, esses anos foram de muito aprendizado e são lembrados com muito carinho, tanto que a Dona Sugu se tornou uma referência para Eiko.

Portanto, não teria como ser diferente e Eiko sempre dizia que “os alunos são meus filhos, tenho uma família grande”. Ela acredita que ser professora é trabalhar contente todos os dias, dar acolhimento aos alunos, e assim, ser lembrada por alunos, filhos e netos. Eiko aproveita para deixar uma mensagem: não nos esquecemos de valorizar a educação, pois a educação e cultura é a base de tudo!

QUEM É MILA?

Criada na roça sem acesso a informação, tudo o que Emilia Cherri Francisco, nascida em 1953, em Mirandópolis, fazia era através da sua criatividade. A mãe era costureira e por isso desde pequena gostava de fazer roupas para as bonecas. Brincava de fazer exposição das bonecas vestidas com suas criações, e ainda fazia roupas de presente para as bonecas das amigas.  E um detalhe, entregava o presente em um embrulho feito com muito carinho, por isso ela se sente muita grata pelo dom da costura que herdou da mãe.

Aos 14 anos ganhou sua primeira máquina de costura do pai que aconselhou: não quer trabalhar, faz o que gosta. E é dessa maneira que ela enxerga seu trabalho, com felicidade e prazer. E engana-se quem pensa que é um trabalho simples, Mila usa matemática e física para confecção de roupas, já tendo produzido para daminhas de um casamento sem tirar medida, apenas com os dados de altura e peso.

Mila começou seu atendimento em 1969, sendo que costurava nos fundos da casa. Hoje possui seu ateliê e loja desvinculados de casa. Sempre gostou de desafios e não escolhe serviço, se dedica a cada trabalho e a cada cliente.

Há 53 anos se surpreendendo com seu trabalho, para ela a vida foi uma escola e ainda vem sendo. Acredita que roupa nova seja a melhor terapia, e fica animada ao ver a reação de felicidade dos clientes. Sua frase de inspiração para os leitores: nascemos sem pedir e morremos sem querer, nesse intervalo é que devemos fazer valer a pena, de autoria do escritor Paulo Coelho.

A homenagem por meio de entrevista é para mostrar exemplos de mulheres fortes. Vale ressaltar que existem muitas outras que fizeram histórias em Mirandópolis desde sua formação até hoje e que não caberia nesse espaço nomear a todas. Portanto, você, mulher, sinta-se homenageada.