Escola Caracol/Podium Saber realiza ‘Desafio Solidário’ para arrecadar alimentos

Escola Caracol/Podium Saber realiza ‘Desafio Solidário’ para arrecadar alimentos

A Escola Caracol/Podium Saber participa anualmente de um desafio mundial de incentivo a prática de atividade física que é realizado sempre na última quarta-feira do mês de maio. Neste período de pandemia, em que os casos de ansiedade e depressão têm aumentado, isso ainda é mais importante. Além de ser um fator de distração, a atividade física também libera endorfina, dopamina e serotonina – hormônios ligados ao sentimento de felicidade.

“Qualquer atividade física vai fazer bem. Se a pessoa gosta de dançar, ela pode dançar, se gosta de nadar, pode nadar, se gosta de musculação, também é permitido. Com as crianças, podem ser realizadas diversas brincadeiras, como pular corda, cabo de guerra, entre outras atividades”, explica Tânia Rizolli, psicóloga e mantenedora da escola.

Na Caracol/Podium Saber, o desafio ficou sob a coordenação da profissional de Educação Física, Marly Bini Doria, que além de estimular a participação de toda comunidade escolar, também lançou neste dia, o Desafio Solidário. A ação social consistiu na arrecadação de alimentos pelos alunos, para serem doados às famílias do munícipio que estão passando por dificuldade.

Os alunos e profissionais da escola foram divididos em quatro equipes (vermelho, azul, amarelo e branco), sendo que foram convidados alguns pais. Para dar um tom de desafio, os itens foram computados por unidade, valendo um ponto cada um deles. Gestores da escola, professores, pais e alunos se reuniram na terça-feira (15) para contagem dos produtos e montagem das cestas básicas. Ao todo, foram montadas 60 cestas básicas e 20 minicestas, que serão distribuídas as famílias com necessidades.

“Este movimento de empatia e solidariedade é um eixo do plano institucional da escola Caracol/Podium Saber, que procura ajudar de forma compromissada e desinteressada. Foi um movimento feito por muitas mãos: alunos, pais, professores, funcionários, familiares e amigos. Se tem algo que o planeta está precisando é empatia. Nosso objetivo é despertar em nossos alunos este sentimento de amor ao próximo, de se colocar no lugar do outro, atitudes humanitárias. É isso que buscamos com estes projetos. Um olhar mais sensível para o outro, que muitas vezes enfrentam dificuldades no dia a dia”, finaliza Tânia Rizolli.