Ciro El-Kadre assume direção do Hospital Estadual de Mirandópolis e inicia projeto de reestruturação

Ciro El-Kadre assume direção do Hospital Estadual de Mirandópolis e inicia projeto de reestruturação

Em junho, o então diretor técnico de Saúde do Hospital Estadual de Mirandópolis ‘Dr. Osvaldo Brandi Faria’, o médico Nivaldo Francisco Alves Filho, foi acusado de ser funcionário “fantasma”. Com a denúncia, ele saiu do cargo e em seu lugar assumiu Ciro Renato El-Kadre, de 59 anos, que apesar de ser de Guararapes, trabalha em Mirandópolis há 27 anos.

“Me perguntaram se eu podia auxiliar naquele momento tão difícil, porque tinham sido exonerados diversos médicos. Já exerci aqui a função de diretor médico por muitos anos e também a função de diretor geral do hospital, então conheço bem os problemas e as necessidades, assim como tenho bom relacionamento com todos, só tenho amigos aqui no hospital, nunca tive nenhum tipo de problema. Não tem nada parado aqui, está tudo tramitando e isso é uma coisa boa, é um ritmo diferente que nós estamos voltando a ter porque já houve esse ritmo no passado, então dentro de pouco tempo vocês vão perceber a imagem do hospital, a segurança e o que o hospital oferece”, explica Ciro.

O médico ressalta que conhece muito bem toda a equipe da coordenadoria de saúde, sendo esse um dos motivos do convite para assumir a função. “Espero estar em breve com o hospital estruturado e regular para deixar para um outro profissional continuar, porque moro em Guararapes e esse cargo exige que eu venha todos os dias. Com esse cargo tive uma mudança importante na minha rotina e estou sacrificando o consultório e outras atividades que faço, mas isso é temporário e nesse período eu vou ficar aqui e fazer o que me propus, por isso também que tenho o interesse de resolver isso logo para eu voltar a ser médico e dar o lugar para quem possa e tenha tempo para assumir a direção”, comenta.

NOVO CONVÊNIO

O diretor reforça que está conseguindo apoio completo para reestruturar o hospital, inclusive o projeto de reposição de médicos é para fazer um convênio com uma instituição sem fins lucrativos. Segundo Ciro, o projeto de restruturação que já foi encaminhado consiste em plantão presencial de dois ortopedistas, dois obstetras, dois cirurgiões e um pediatra por dia, durante sete dias por semana de dia e um de cada no período da noite, ou seja, um convênio de 24 horas por dia, 365 dias por ano.

“O que compete a empresa conveniada é fornecer os profissionais habilitados, com residência ou título de especialista, não pode ser médico recém-formado ou em estágio, tem que ser médico habilitado. Dessa forma nós vamos voltar a ter equipes completas e plantões presenciais para poder assistir, receber e ser referência nessas áreas, na maternidade, que precisa do obstetra e pediatra, na ortopedia e cirurgia geral. Clínico nós temos o suficiente”, detalha o diretor.

O médico comenta que pediu também para ampliar o horário de tomografia, assim como solicitou para a atual instituição conveniada fornecer o radiologista, o ultrassonografista e logo também vai pedir por endoscopista e colonoscopista.

“Hoje (dia 24 de agosto) estou enviando o ofício, conversei na coordenadoria e eles me pediram um prazo de 60 dias, então estou oficiando, acabei de assinar para a DRS esse prazo. Com esse suporte vai normalizar a ponto de nós conseguirmos exercer a função do hospital regional que há muito tempo não se tem e essa equipe grande vai ficar a disposição de urgências para a região, então se tiver um trauma será encaminhado para cá e os nossos médicos efetivos vão trabalhar na parte hospitalar, ambulatório, cirurgias eletivas, entre outras áreas”.

APURAÇÕES DAS DENUNCIAS

O atual diretor informa que tem conhecimento das denúncias apresentadas, sendo que todas estão sendo analisadas sigilosamente. O médico confirma que iniciou uma grande apuração onde serão averiguadas de forma específica cada item, para poder aprofundar nas decisões.

“Só estou aqui porque sei que é possível melhorar os processos. Conseguimos agora investimento de praticamente 1 milhão de reais que servirão para compra de equipamentos e outras melhorias. Nós já estamos informatizando todo o hospital, vamos fazer a reposição de todos os equipamentos danificados. Estamos nos preocupando com a estrutura interna, fazendo as reformas necessárias. Temos o apoio da prefeitura que nos ajudou com a equipe, então penso que estamos no caminho certo, porque o que depende da unidade e da coordenadoria já está sendo feito, só que demora um prazo um pouco além do imaginado, mas pelo menos nós vamos ter um hospital novamente seguro para atender a região”, finaliza Ciro.