Requerimento para detalhar saldo nos cofres da prefeitura é reprovado e Monica Machado desabafa sobre votos contrários

Requerimento para detalhar saldo nos cofres da prefeitura é reprovado e Monica Machado desabafa sobre votos contrários

A 19ª sessão ordinária da Câmara de Mirandópolis que foi realizada na segunda-feira (20) ficou marcada por uma discussão entre os vereadores por conta de um requerimento que não foi aprovado por 4 votos contra (Claudio Morena, Tiago Soares, Magali Maziero e Emerson Comandante) e 3 votos a favor do requerimento (Mônica Machado, Roberto Gonçalves e Afonso Carlos Zuin). Os vereadores Grampola Pantaleão e José Benedito Brufato não estavam presentes na sessão.

O debate começou porque os vereadores Afonso Carlos Zuin, Monica Machado e Roberto Gonçalves colocaram em pauta um requerimento solicitando ao prefeito de Mirandópolis, Everton Sodario, toda documentação pertinente e comprobatória em relação ao valor real do saldo nos cofres públicos, bem como em quais pastas estes valores estão dotados, que tipo de verbas e quais as prerrogativas de prioridades estão sendo usadas para a execução das obras.

“Esclarecer a população o saldo positivo da prefeitura municipal, uma vez que é sabido por vários meios de comunicação que possui um caixa bastante expressivo de 15 milhões de reais. Queremos através desse requerimento saber a origem desses valores. Em relação a prioridades, se deve ao fato de quando o poder legislativo ser indagado pela população não ter resposta”, diz a justificativa no documento.

Após a leitura, o requerimento não foi aprovado pela questão de votos, com isso, Monica Machado pediu a palavra e desabafou. “O requerimento é um instrumento utilizado nessa Casa de Leis para colher informações, ou seja, é uma função do vereador fazer o requerimento. Analisei a justificativa do requerimento e disse sim (para colocar o requerimento em pauta) porque o mesmo questionamento que o Afonso teve, eu tive da população. E não é querendo o mal da administração, pelo contrário, pessoas do meu convívio que são apoiadoras da administração, estavam com essa dúvida. Me senti na obrigação como eleita pelo povo, de assinar esse requerimento. Quero deixar claro que todos os vereadores são livres para votarem, mas muito me indigna vereadora Magali o voto de vocês no não, porque não vi nada de diferente aqui que justificasse o voto contra”, explicou Mônica.

A vereadora Magali comentou em tribuna que votar não para aprovação do requerimento não é estar contra a população, já que tem o livre arbítrio para votar. “A prefeitura está de portas abertas, não só para os vereadores, mas para a população. E também é possível ver as informações solicitadas no portal da Transparência, por isso eu achei que não deveria entrar o requerimento em pauta”, justificou Magali.

O edil Emerson Comandante disse que votou não porque acha desnecessário mobilizar todos os departamentos da prefeitura para responder essas dúvidas do requerimento. O vereador Claudio Morena também justificou seu voto contra o requerimento explicando que basta os vereadores Afonso e Monica irem até a prefeitura que conseguem as informações necessárias.

Sessão teve discussão entre os vereadores por votação sobre requerimento

INDICAÇÕES

O vereador José Benedito Brufatto, o Chutudo, indicou a reforma e adequação do prédio da Casa da Agricultura, onde se encontra locado o Departamento de Agricultura e Abastecimento.

Magali Maziero e Emerson Carvalho indicaram a implantação de uma plataforma plana com faixa de pedestre na rua Rui Barbosa, em frente a “Padaria Vitória Régia” e o “Açougue Monzani”

Vale ressaltar que a indicação parlamentar não tem caráter obrigatório. Cabe a prefeitura decidir se acata ou não o pedido do vereador.

MOÇÃO DE APLAUSO

Os vereadores Magali Maziero e Emerson Carvalho colocaram na pauta uma moção de aplauso aos proprietários do Mercado Tend Tudo, Adriano e Edna, pela bela história de vida e superação e por oferecer a população um estabelecimento em constante modernização e inovador, colaborando para o desenvolvimento do comércio.

Adriano, Edna e os filhos recebendo a moção de aplauso dos vereadores

MOÇÃO DE APOIO

Os nove vereadores colocaram em pauta uma moção de apoio à manutenção da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos como Empresa Pública. A justificativa dos vereadores é que o Correios presta diversos serviços de suma importância para população e empresas, assim como inúmeros serviços relevantes prestados aos orgãos municipais e federais.