Haras Festival acontece no dia 12 de dezembro unindo música, entretenimento e solidariedade

Haras Festival acontece no dia 12 de dezembro unindo música, entretenimento e solidariedade

Acontece no dia 12 de dezembro, das 12h às 20 horas, o Haras Festival. O evento open bar (bebida liberada) contará com diversas atrações musicais em um local com 1500 metros quadrados de área coberta, dentro do Haras Ikejiri. Com uma estrutura diferenciada de churrascada, o evento que será beneficente para a instituição Ser Criança conta com a produção da empresa WMDGTL.

“Em uma conversa com a associação Ser Criança, surgiu a ideia de unir a este projeto, os futuros eventos da agência WMDGTL e as ações solidárias da associação. E porque não unir nossas ideias em prol de uma causa tão nobre? Assim, nasce o Haras Festival, uma festa com foco em música, entretenimento e solidariedade. Vamos realizar juntos um festival de música, churrasco, bons amigos e parceiros e uma deliciosa tarde de dezembro para arrecadar fundos a quem busca o melhor na qualidade de vida das crianças que são a promessa do nosso futuro”, explica João Pedro Antunes, da agência WMDGTL.

O preço do convite individual é de R$ 180, sendo que o evento contará com a estrutura da churrascada comandada por João Paulo Terçariol. Entre as atrações musicais estão nomes como Carol Valentim, Junior Antunes, Os Madrugas, Juliana Mangolin, DJ Leo Chimello, entre outras. As empresas interessadas em apoiar o evento podem fazer contato pelo telefone (11) 96180-6167.

SER CRIANÇA

A Associação Conchetta Bettone Delai – Ser Criança, é uma entidade sem fins lucrativos que realiza diagnóstico e intervenção em crianças que se apresentam com Transtorno do Espectro Autista (TEA) e Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH). Foi fundada em 2015 através de uma vivência pessoal de uma mãe que vislumbrou a necessidade da existência de uma entidade que acolhesse essas crianças, visando o desenvolvimento de um trabalho centrado em diagnóstico, atendimentos, estímulos, orientações escolares, esclarecimentos por meio de palestras com a rede de atendimento, intervenções psicossociais, estudo e pesquisa com relação aos acompanhamentos e intervenções realizados nos processos terapêuticos e acompanhamento e desenvolvimento familiar, social e escolar com as crianças atendidas, uma vez que, existe uma lacuna no município e região de um atendimento especializado e interdisciplinar nessas patologias.