Conheça o ranch sorting, o esporte da família que vem ganhando praticantes em Mirandópolis

Conheça o ranch sorting, o esporte da família que vem ganhando praticantes em Mirandópolis

A modalidade esportiva country Ranch Sorting foi criada entre 2006 e 2007, nos Estados Unidos, e já conta com diversos adeptos em Mirandópolis. Consiste em uma versão esportiva de apartação de gado e deve ser praticada em duplas. Como o esporte não exige alta intensidade, ela pode ser praticada de crianças até idosos, com isso abre portas para que pais, filhos e avós participem da modalidade juntos.

Em pouco tempo de existência, essa modalidade já entrou para a lista dos principais esportes equestres existentes, em especial entre os criadores de cavalos da raça Quarto de Milha (ABQM), bastante indicados para apartação. Os competidores participam em duplas e devem ordenar 10 cabeças de gado de acordo com a indicação numérica solicitada. 

O local em que a competição é realizada deve ter dois currais, em um deles ficam as 10 cabeças de gado numeradas, de 1 a 10, e no outro a dupla. Antes da prova começar, o juiz sorteia um número, que pode ser 3, por exemplo. Assim, a dupla participante deverá ordenar as cabeças de gado de acordo com esse número indicado. Neste exemplo ficaria assim: 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 0, 1, 2. 

Vence a competição a dupla que conseguir organizar as cabeças de gado de acordo com esse número em menos tempo. É fundamental que animais de rodeio participantes estejam ordenados na ordem certa, caso contrário o desempenho é considerado como SAT (Sem Aproveitamento Técnico). A dupla pode ser punida com SAT também se utilizar força desnecessária ou agredir os animais participantes.

Guilherme e João recebendo premiação

MIRANDÓPOLIS

O dentista Guilherme Franco sempre foi um apaixonado por cavalo e esteve envolvido nesse meio. “Conheci o ranch sorting há mais ou menos uns dois anos, mas por muitos anos fiz apenas prova de laço e não praticava o ranch sorting. Um amigo me apresentou a modalidade no haras Ikejiri, foi quando decidi começar a treinar e me apaixonei pelo esporte”, explica Franco.

O mirandopolense lembra que começou a treinar em 2019, sendo que quando iria começar a ingressar nas provas oficiais chegou a pandemia e parou tudo. “De certa forma foi bom porque acabei me aperfeiçoando mais no esporte entre 2019 e 2020. Daí em outubro do ano passado fiz a minha primeira prova, em Barretos, mas não fui bem. Na sequência, em novembro tinha uma prova em Araçatuba e fui muito bem na categoria aberto e amador, daí empolguei e não parei mais”, recorda Guilherme, que faz dupla com o amigo João Gonzalez.

Treinando pelo menos três vezes por semana, um diferencial do esporte é a pratica em família. “Realmente o ranch sorting é o esporte da família. Treino com a minha namorada, que também está em toda prova. Além disso, nas competições existe uma categoria família onde pratica pai e filho. Tem pessoas de mais de 70 anos competindo, assim como crianças de 10 anos, é bem democrático”, reforça Guilherme.

O dentista complementa que para ele montar em cavalo é a melhor terapia, “saio do consultório cansado e consigo renovar as energias montando. Aproveito para convidar quem tiver interesse em conhecer a modalidade para fazer uma visita em nossa chácara, tenho certeza que as pessoas vão gostar do ranch sorting”, finaliza.

AS REGRAS

Assim como outras modalidades de rodeio esportivo, o Ranch Sorting conta com algumas regras:

– Tempo limite: a ordenação do gado, de acordo com o número previamente sorteado, deverá acontecer dentro de um tempo limite, que pode ser de 60, 75 ou 90 segundos. O organizador da prova é que determina de quanto será esse tempo. 

– Pista de Ranch Sorting: a competição deve ser realizada em uma pista com formato de “8”, cujo diâmetro pode variar entre 15 e 18 metros. Há uma abertura entre as duas partes que compõem o 8, com altura entre 3,87 e 4,70 metros. 

– O animal: o gado a ser apartado nessa competição de rodeio deve ter origem europeia ou industrial, pois esses animais costumam ter mais respeito pelos cavalos, tornando a atividade mais segura. Animais de raças como Nelore e Gir não são indicados, já que podem se tornar um tanto agressivos. Competições em que participam crianças ou indivíduos pouco experientes devem utilizar gado treinado e comprovadamente manso para reduzir as chances de acidentes. No entanto, nas competições com viés mais profissional, o gado a ser usado tende a ser mais difícil de manejar para exigir mais esforço das duplas.