Departamento de saúde de Mirandópolis realiza testagem de HIV e Sífilis em moradores

Departamento de saúde de Mirandópolis realiza testagem de HIV e Sífilis em moradores

A Prefeitura de Mirandópolis realiza nesta quinta (2) e sexta-feira (3), o evento Fique Sabendo, promovido pelo departamento de saúde do município, em alusão a campanha dezembro vermelho. A ação, desenvolvida na rua Rafael Pereira, das 8h às 13 horas, tem como objetivo levar informação aos munícipes e incentivar a testagem preventiva contra o HIV e Sífilis.

Segundo a chefe das vigilâncias de Mirandópolis, Mariana Amaral, até o momento, no ano de 2021, o município confirmou 4 novos casos positivos de HIV e 7 de Sífilis, sendo um dos casos registrados em uma gestante.

A profissional explica que, para combater as doenças sexualmente transmissíveis é extremamente importante que as pessoas incluam em suas rotinas o hábito de realizar os testes preventivos, pois além de evitar o agravamento de doenças, o diagnóstico precoce pode também evitar a transmissão para outras pessoas.

“Hoje o diagnóstico precoce é considerado como preventivo, pois quanto mais pessoas são diagnosticadas, maior o número de pessoas em tratamento, o que diminui consequentemente o número de futuros infectados”, orienta a chefe das vigilâncias.

Ainda de acordo com Mariana, apesar de existir uma vasta quantidade de informações sobre as doenças sexualmente transmissíveis, este assunto ainda gera muito preconceito devido aos medos e tabus que envolvem o vírus HIV.

“Atualmente temos um acesso imensurável de informações, mas mesmo o mundo estando tão evoluído ao se tratar de tecnologia e informação, quando falamos de HIV o preconceito ainda permanece infiltrado nas raízes das pessoas, por isso campanhas como esta são tão importantes, pois vão contra o preconceito”, explica a profissional.

A ação desenvolvida será gratuita e para participar basta comparecer ao local portando os documentos de identificação. Os testes disponibilizados serão direcionados para o público a cima de 12, no entanto, os jovens com menos de 18 anos devem ter como referência um adulto responsável no momento da testagem.