Sensibilizados com família que vive em casa de madeira há 53 anos, miradopolenses fazem campanha para promover reforma

Sensibilizados com família que vive em casa de madeira há 53 anos, miradopolenses fazem campanha para promover reforma

Foto: Divulgação*Matéria G1

Uma família de Mirandópolis que vive há 53 anos em uma casa de madeira, localizada no Centro, ganhou a esperança de dias melhores após a situação sensibilizar moradores da cidade.

O imóvel está com a estrutura deteriorada, madeira apodrecida e infiltração, situação que despertou a atenção do policial militar Thiago Toledo. Thiago decidiu iniciar uma campanha para arrecadar fundos e construir um novo imóvel no local, oferecendo assim mais conforto aos irmãos. 

Atualmente, Divina Francisca de Meira da Silva, de 72 anos, e o irmão dela, João Francisco Bernadino, de 68 anos, deficiente auditivo por conta de paralisia infantil, vivem no imóvel.

Divina é viúva e tem duas filhas: Andreia Aparecida da Silva e Angela Maria da Silva Oves. Ambas cresceram no imóvel e viveram no local até chegarem a fase adulta. 

Após a morte do companheiro, Divina permaneceu no imóvel cuidado do irmão mais novo, João Francisco, que necessita de apoio familiar. Atualmente ambos vivem com uma pensão e uma aposentadoria. Dinheiro que não é suficiente para reforma do espaço. 

A ação começou no domingo (16), por meio de uma vaquinha virtual. O objetivo é arrecadar R$ 20 mil para o começo das obras. Um engenheiro civil ajudou a montar a planta da casa, que vai ser construída no mesmo terreno após a demolição do imóvel de madeira. 

Toledo decidiu iniciar uma campanha para arrecadar fundos e construir um novo imóvel. Foto: Divulgação

“Antes de lançar o projeto, nós procuramos um engenheiro, através de uma empresa amiga, que sempre nos ajuda nesses projetos sociais. Eles nos doaram a planta completa. A área é o próprio terreno onde já existe a casinha de madeira deles. Ela será desmontada e o terreno limpo para início da obra. Estamos na fase de arrecadação para que o início da obra seja com o material suficiente para o término, com responsabilidade”, conta Toledo.

Thiago explicou que ainda não atingiram a meta, mas a população da cidade tem colaborado e demonstrado muito amor por Divina e João Francisco, que são conhecidos entre os moradores. 

O policial militar lembra que quando propôs para a idosa que iria ajudá-la na construção de uma nova casa, ela negou e ficou envergonhada por aceitar tamanha generosidade. “Quando fui falar com a dona Divina sobre a intenção de fazer uma casa nova, ela não quis aceitar, disse que havia pessoas que precisavam mais do que ela. Eu tentei convence-la, mas ela não deu o braço a torcer. Fui embora triste, mas após algumas horas a filha dela entrou em contato e disse que ela havia contado tudo e que não acreditou na sua resposta”, explicou.

Ele conta que, após receber a ligação da filha, Andreia Aparecida, dizendo que Divina tinha aceitado a ajuda, no dia seguinte todos se reuniram na casa de madeira para conversar e alinhar os detalhes do projeto. 

A ideia já foi lançada nas redes sociais e Toledo aproveitou para fazer uma live explicando aos moradores de Mirandópolis como vai ser a destinação das doações. “Assumi o compromisso de fazer essa live para justificar os valores recebidos, os materiais que ganhamos. E quando a obra começar também, a gente vai fazer para poder dizer onde está sendo gasto. Dar mais transparência”, finalizou o policial militar. 

Andreia conta que sempre teve uma relação de muito amor e carinho pela casa. Quando soube que estavam querendo ajudar a família, ela não teve duvidas e logo convenceu a mãe a aceitar o apoio. Principalmente porque o imóvel está em situação precária. “A minha relação com essa casa é uma relação muito forte, é um lugar onde eu nasci, cresci, vendo ela nessa situação, muito drástica. Eu amo esse lugar, esse endereço. Graças a Deus nunca faltou nada para nós. Porém, a situação está muito lamentável”, contou Andreia. 

“Ela perguntou: ‘meu Deus, será que eu mereço tudo isso?’ Então, eu acredito que ela ficou com vergonha, e também, por ela lavar roupa na parte de fora da casa. Aí ela falou assim: ‘mas como é que vai ficar meu tanque? Como é que vai ficar meu varal? Como é que eu vou lavar minha roupa?’ Surgiu vários impedimentos na cabeça dela”, revela Andreia.

Andreia explicou à idosa que a obra seria feita com todas as adaptações e que isso trará mais conforto e segurança aos moradores. Sem contar a generosidade das pessoas que estão se mobilizando para tornar o sonho uma realidade. 

Andreia vive com os dois filhos em um imóvel ao lado da casa da mãe e do tio. Ela diz que quando as obras começarem, os dois serão realocados na casa dela e acredita que todo esse receio de Divina aconteceu porque são muitos anos no mesmo espaço. Mesmo que comprometido pelos anos, a relação de amor e pertencimento é muito forte. 

“São 53 anos na casa. Nunca saíram daqui desde de que vieram da fazenda em 1971. Olha é uma sensação na qual não consigo expressar porém de muita alegria. Ficamos maravilhados”, finalizou Silva.


                       
1721516468