Neia Presentes: a jornada de uma empresária de sucesso em meio a desafios e conquistas

Neia Presentes: a jornada de uma empresária de sucesso em meio a desafios e conquistas

Foto: Allan Mendonça

Conversamos com Claudineia Aparecida Nascimento, de 50 anos, graduada em Geografia. Neia, como é conhecida popularmente, iniciou sua carreira aos 18 anos em uma loja de artigos para presentes. Após cinco anos, recebeu um presente especial de sua mãe: sua própria loja, a Neia Presentes. Durante muitos anos, sua vida foi repleta de emoções; em suas viagens para comprar mercadorias no Paraguai, Neia relata ter sido vítima de três assaltos. Confira a seguir a história desta empresária que enfrentou grandes desafios para conquistar seu espaço na cidade.

Onde nasceu?

Mirandópolis é a minha cidade natal, sempre vivi nas proximidades da Rua Dom Pedro I, ao lado da minha mãe, Maria Aparecida. Sou enteada do Dodô, do Bar do Dodô, e tenho um irmão chamado Rafael Porto. Minha infância transcorreu de forma tranquila; muitas vezes brinquei na rua, desfrutando de momentos divertidos com amigos. Cursei o ensino fundamental na Escola Ebe Aurora, me formei em Geografia em Andradina e fiz licenciatura em Três Lagoas. Aos 18 anos, iniciei minha carreira no Bazar Americano, onde trabalhei por sete anos com a sra. Cecilia e o sr. Carlos. Estou casada há 22 anos com Alcir Aparecido Fagnani e temos dois filhos: Nicolas, de 19 anos, envolvido no clube de Rotaract de Birigui, e Mariana, de 16 anos, que integra o Interact de Mirandópolis.

Loja está localizada na rua Dom Pedro I, nº 2079. Foto: Allan Mendonça

Como surgiu a loja Neia presentes?

Pode ser uma surpresa para muitos, pois é comum as pessoas confundirem e acharem que Neia é minha mãe, algo que ela responde com bom humor quando chamada assim na rua (risos). Na verdade, sou eu, o que causa certa diversão pela confusão. O estabelecimento foi um presente de minha mãe quando a Jussara, casada com o Poca Pena, o possuía. Inicialmente localizado na Regente Feijó, nos fundos da casa dela, permanecemos lá por apenas um mês, mudando então para a Rua Dom Pedro I, em frente ao Zé Carlos, onde ocupamos um antigo depósito durante um ano. Em 1998, construímos o prédio atual da loja, onde estou estabelecida desde então, há 25 anos. A inauguração da loja foi marcada por um rápido crescimento nos primeiros dois anos, sempre com um movimento consistente. A ideia de abrir o negócio surgiu de minha experiência anterior de sete anos no Bazar Americano, na qual adquiri conhecimentos valiosos sobre vendas. Além disso, o histórico empresarial de minha mãe contribuiu para alimentar essa paixão que parece estar em meu sangue.

O início foi muito desafiador?

Certamente, as viagens frequentes ao Paraguai e São Paulo para comprar mercadorias eram uma parte crucial do sucesso da loja, embora nem sempre fossem fáceis. Viajar de ônibus implicava em desafios, especialmente pelas adversidades enfrentadas. Agradecendo a Deus, a loja progrediu, e contar com o apoio incondicional de minha mãe na gestão do negócio foi fundamental. As maiores dificuldades surgiram durante as viagens ao Paraguai, partindo de Andradina às segundas e sextas-feiras, exigindo longas e cansativas jornadas de ida e volta. Infelizmente, enfrentamos três assaltos no ônibus, situações extremamente difíceis que resultaram em perdas significativas, pois éramos levados para locais isolados, onde éramos despojados de nossos pertences. Essas viagens apresentavam riscos, presenciei acidentes e até sofri um deles. Contudo, a fase arriscada passou, e hoje as coisas se tornaram mais seguras, com minha atuação se limitando às viagens para São Paulo, uma vez que a alta do dólar tornou as viagens ao Paraguai mais desafiadoras. Incialmente, quando iniciei aos 24 anos, enfrentei poucas dificuldades para gerir a loja, dado meu conhecimento prévio. Atualmente, sou grata a minha mãe, cujo apoio foi essencial para minha trajetória; e a meu marido, que esteve ao meu lado durante a criação dos filhos e mesmo nas jornadas de trabalho e viagens. Em nossa loja, oferecemos uma ampla variedade de itens para presentes, desde bolsas, copos, eletrônicos, artigos de decoração, vestuário, brinquedos e pelúcias, entre outros.

Meia com a sua mãe, a grande incentivadora. Foto: Allan Mendonça

O que Mirandópolis representa para você?

Mirandópolis para mim é tudo, foi onde nasci e cresci. Imagina há 25 anos construir esse prédio em Mirandópolis? Foi um investimento muito alto e os viajantes falavam: Nossa, você vai investir nessa loja aqui na cidade, nem é no centro? Mas pra mim foi incrível, pois ganhei a loja da minha mãe, conquistei muitas coisas com o empreendimento e não tinha porque investir em outro lugar. Aqui foi onde nasci e cresci. E cheguei a gerar muitos empregos, teve um período que tivemos quatro funcionárias. Hoje com o avanço da internet e as vendas online o movimento caiu, mas seguimos firmes e fortes. Agradeço a todos os nossos clientes e lembro que estamos localizados na rua Dom Pedro I, nº 2079.


                       
1721512998