Sessão da Câmara é marcada por discussões entre os vereadores

Sessão da Câmara é marcada por discussões entre os vereadores

Aconteceu na segunda-feira (14) a última sessão ordinária da Câmara Municipal de Mirandópolis. Em pauta dois assuntos polêmicos, um foi o projeto 31/2020, que dá nova redação a Lei Orgânica do Município, que mudaria a aprovação dos projetos, requerimentos, entre outras ações, para minoria simples de votos entre os vereadores. Atualmente é preciso de seis votos, ou seja, dois terços dos votos da casa de leis.

Um segundo tema que chamou atenção foi o projeto de emenda 32/2020, que passa a vigorar com a seguinte redação: O Prefeito, o Vice-Prefeito, os Vereadores, os ocupantes de cargo em comissão, as pessoas ligadas a qualquer deles por matrimônio ou parentesco, afim ou consanguíneo, até o 3º grau, ou por adoção e os servidores e empregados públicos municipais, não poderão contratar com o Município, subsistindo a proibição até seis meses após findas as respectivas funções.

O projeto 31/2020 não foi aprovado, sendo que o 32/2020 teve sua aprovação. Vale ressaltar que os dois projetos serão votados novamente em uma sessão extraordinária no dia 29 de dezembro.

DISCUSSÔES NA DESPEDIDA

O vereador Tiago Soares (PSL) subiu na tribuna para ressaltar que foi de extrema importância a votação do projeto 31/2020, que foi rejeitado por quatro votos contra e quatro votos a favor, já que o vereador Nivaldo Ribeiro não compareceu à sessão. “Parabéns para quem votou contra, porque esse projeto no meu ponto de vista é nada mais, nada menos, para interferir o governo do atual prefeito. Quem ganha com isso é o povo, quem ganha é a cidade”, explica Tiago.

O vereador do PSL disse que ficou surpreso com o voto a favor do Afonso Carlos Zuin. “O Senhor, no dia 16 de novembro, após a eleição, esteve em reunião com os vereadores eleitos para apoiar o prefeito Everton Sodario. Diga pra mim que é mentira? Estávamos juntos. Peço que o senhor reveja o voto para a sessão extraordinária que vai acontecer no dia 29, que será válida”, acusa.

Tiago ainda falou na tribuna que Wellington Brito precisaria provar as acusações feitas na sessão anterior (7/12) contra a filha do vice-prefeito, em relação ao aumento dos gastos da prefeitura na oficina que é vinculada a filha do Mirão. “Votei sim e votaria novamente no projeto 32/2020, só que como você (Brito) se posicionou, acredito que deve ter prova sobre essa denúncia, então peço que levante todos os documentos sobre desviou ou irregularidade, e vamos protocolar no Ministério Público. Mas vim querer atacar ou criticar o governo é fácil. Aguardo o presidente com provas, se tiver irregularidade o Ministério Público vai apurar”, complementou Tiago.

ALMIR REBATEU

Na sequência, o vereador Almir Marini (PV) subiu na tribuna para dizer que as votações não prejudicam o andamento da administração do prefeito. ” Caso não saibam, para se eleger um presidente da câmara, são necessários cinco votos. E a eleição do presidente é a votação mais importante da casa de leis em seu andamento rotineiro. Então para fazer um requerimento não faz sentido precisar de seis votos”, disse Marini.

O vereador ressalta que os cinco votos não são para caçar prefeito ou prejudicar um próximo vereador, sendo que lamenta muito esse olhar politiqueiro a respeito dos projetos que estão em pauta.

“Pergunto ao senhor prefeito, que está aí há um bom tempo, você teve problema com essa casa de leis? Os vereadores atuais estão te atrapalhando a administrar? Foram 40 projetos aprovados, dois não foram porque tinham coisa errada, daí vocês corrigiram e na sequencia foram aprovados. Os vereadores não são moleques. Nós votamos com consciência. Para de mimimi nas redes sociais, que você é muito bom nisso”, concluiu Almir.

BRITO RESPONDE TIAGO

“Fico imaginando o tamanho da ignorância do senhor Tiago Soares em falar que o projeto 31/2020 prejudica o prefeito. Te dou a palavra agora para explicar para a população onde estamos atrapalhando o prefeito por conta desse projeto”, iniciou o vereador Wellington Brito.

Segundo Brito, as falas de Tiago mostram a ignorância por ele não conhecer o regimento interno e a lei orgânica do município. “Sobre o projeto 32/2020, queria que você (Tiago) me dissesse onde acusei de roubo. É impressionante o tamanho da sua ignorância. Não estou acusando ninguém, as informações estão no Portal da Transparência”, completou Brito, que agradeceu toda população e funcionários da câmara com um até breve, ressaltando que sua carreira política não acaba em 2020.


                       
1720911989