Dercir Pedro de Oliveira: comunicador, carismático e educador

Dercir Pedro de Oliveira: comunicador, carismático e educador

Faltam adjetivos para descrever Dercir Pedro de Oliveira. Especialista em língua portuguesa, foi professor, mestre e doutor. Escreveu seis livros, foi radialista, investigador, orientou inúmeras monografias e dissertações. Apresentou trabalhos em alguns países da América Latina, foi pesquisador e publicou, ao longo dos anos, artigos científicos em revistas de prestígio internacional.

Dercir nasceu em Piaba, município de Três Lagoas-MS, no dia 29 de junho de 1946, em uma estação ferroviária. Casou com Gloria Gelle, com quem teve três filhos: Mirna, Nara e Pedro (hoje já com os netos Luís Guilherme, Luis Henrique, Catarina e Marina).

Sua primeira graduação foi em Letras pela FAL (Faculdade Auxilium de Filosofia) de Lins, em 1970. Depois fez o curso de especialização em linguística, na UNESP de Araraquara (1972-73), sendo que na sequência começou a trabalhar na UFMS – Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, em 1973.

Reinaldo Mustafa, amigo de Dercir desde a época de ginásio, onde foram contemporâneos no curso normal e magistério, lembra com muito carinho do parceiro. “Foi meu melhor amigo e por décadas mantivemos essa amizade. Era uma pessoa com hábito simples que não precisava de coisas materiais para ser feliz. Determinado nos estudos, nas horas vagas gostava de cantar músicas paraguaias, não foi à toa que fizemos dezenas de serenatas e reuniões para nos divertir. Sua gargalhada inconfundível expressava seu humor e contagiava todos em sua volta”, recorda Mustafa.

Já Gabriel Carbello, que dividiu moradia em Lins com Dercir na época da faculdade, lembra de duas características marcantes do amigo. “Sempre digo que o Dercir na verdade eram dois Dercir’s. Um defino como aquele cara inteligente, trabalhador e estudioso. E o outro um brincalhão e gozador de primeira linha. Grande amigo e ser humano”, lembra Carbello.

Uma outra característica de Dercir lembrada por Reinaldo Mustafa era o dom da oratória. “Batizou minha filha Georgina e foi o celebrante (Dercir e a Gloria) do casamento dela. Ele brincava que já velho se tornou sacerdote, um padre. Da nossa amizade tiro muitas lições, sendo a principal a perseverança em estudar e sempre evoluir. Já as recordações são várias, das viagens que fizemos juntos para o Norte e Nordeste, assim como muitas outras passagens que marcaram a minha vida. Só tenho excelentes lembranças do meu amigo”, comenta Reinaldo Mustafa.

Centro de irradiação do conhecimento
Em Três Lagoas, Dercir foi coordenador do curso de Direito, chefe do departamento de Letras e diretor do campus. Antes de assumir a pró-reitoria de pesquisa, foi coordenador da pós-Graduação da instituição, sendo um dos grandes responsáveis pela implantação da Faculdade de Medicina da UFMS e, consequentemente, do Hospital Regional de Três Lagoas. Na Universidade, cedeu seu nome em homenagem ao Centro Acadêmico da Faculdade de Medicina e também no Anfiteatro do campus.

“Com certeza, o professor Dercir, durante muitos anos, foi o representante da Administração Central da UFMS, que mais deu apoio aos projetos dos Câmpus da UFMS, no interior, a saber: Câmpus de Aquidauana, Corumbá, Naviraí, Nova Andradina, Chapadão do Sul, Coxim, Ponta Porã, Paranaíba, Bonito e Três Lagoas(CPTL), revela Celia Maria Silva Correa Oliveira, ex-reitora da UFMS.

Ela ainda destaca que além da benevolência, entre as principais qualidades do Dercir estavam coragem, determinação, bondade, alegria de viver e o grande amor pela família, pelos amigos e pela profissão. “Ele tinha uma grande sede de aprender para ensinar. Dizia sempre: “aprender antes dos alunos” e “apenas ensina bem quem aprendeu”.  Como diria Manoel de Barros, Dercir foi um esticador de horizontes”, recorda Celia.

A inquietação de Dercir em evoluir era constante: fez especialização em língua portuguesa e redação, na Universidade Federal de Minas Gerais (1973); cursou Direito pelo Instituto Toledo de Ensino de Araçatuba (1982); mestrado em Letras pela Universidade do Sagrado Coração de Jesus de Bauru (1982); doutorado em Linguística pela PUC-SP (1989); e pós-doutorado na UNICAMP (1995). Além disso, foi-lhe concedido Bolsa de Produtividade CNPq, na categoria 2, nível C, em 1998.

Segundo Pedro Gelle, filho de Dercir, foram vários os bons exemplos de luta e superação deixado pelo pai. “Um fato de perseverança que me marcou muito foi sua busca em criar uma moradia estudantil em Três Lagoas. Lembro que a CESP tinha um prédio na frente da universidade que estava desativado. Ele colocou na cabeça que iria montar um espaço para os estudantes e com muita luta conseguiu. A vontade era tanta que ele gastou do próprio bolso, pegando seu carro particular e indo até Porto Primavera em busca de um convênio”, explica Pedro. Depois de apresentar o projeto e conseguir a autorização, ainda buscou verba para reforma do prédio para passar a oferecer uma oportunidade de moradia para os estudantes.

O filho ressalta que passou a entender muito das atitudes do pai depois de ser iniciado na Maçonaria, em 2010. “Tive a honra de compartilhar com ele a fileira da Maçonaria. Fui iniciado e ele estava presente, me deixa emocionado, pois depois que ingressei na Ordem consegui ter melhor dimensão da filosofia de vida e passei a entender muito das suas atitudes: levar oportunidades para os deserdados e melhorar o desenvolvimento social e econômico”, frisa Gelle.

Dercir (esquerda) com Pedro Gelle (direita) e seu neto

Eduardo Sunada, que iniciou junto com Dercir na Maçonaria em 1977, recorda com boas lembranças da facilidade do professor em redigir textos e também do seu dom da oratória. “Pelo fato dele ser professor e estudioso, com facilidade em escrever, conseguiu ajudar muito maçons a evoluir. Tive o privilégio de iniciar junto com ele e também de galgar elevações ao seu lado. Lembro como hoje do dia 25 de junho de 1994, porque fomos até o Rio de Janeiro porque alcançamos o grau máximo dentro da Maçonaria, o Grau 33. Tive muitos aprendizados ao seu lado, só excelentes lembranças”, ressalta Sunada.

Livros publicados e homenagem em Campo Grande-MS
Dercir escreveu o livro ‘Introdução à Sintaxe: tradicional, formal e estrutural’ que aborda uma sintaxe introdutória da língua portuguesa. Um outro livro publicado pelo professor foi ‘A Estilística em Rosário Congro’. Além de outras publicações, Dercir foi em Campo Grande professor titular da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, coordenador da Pós-Graduação e pró-reitor de Pesquisa. Recentemente, a UFMS fez uma homenagem colocando o nome dele no Complexo Multiuso de Salas de Aula e Auditórios.

Dercir foi um apaixonado pela educação e principalmente pela vida. Uma vez questionado em entrevista sobre o que representava a universidade ele foi categórico: é o centro de irradiação do conhecimento e a grande oportunidade de ascensão social do pobre. Nessa mesma entrevista, em 2011, Dercir foi perguntado sobre o que faria de diferente se fosse recomeçar sua atividade profissional. Sem pestanejar respondeu: Nada, nada.

Dercir Pedro de Oliveira faleceu em 2014, em Três Lagoas-MS, e deixou grandes feitos e amizades.


A UFMS em Campo Grande fez uma homenagem colocando o nome do Dercir no Complexo Multiuso de Salas de Aula e Auditórios.

                       
1721612338