‘Sonho em fazer um projeto 100% social’, comenta Carlinhos

Conversamos com Carlos Alberto Pereira, conhecido como Carlinhos, para falar sobre sua trajetória de vida e também do projeto Bola na Rede que atende mais de 120 crianças. O educador físico de 49 anos, que é casado e tem dois filhos, tem no esporte o objetivo de socializar e preparar pessoas para a vida. Confira abaixo a entrevista completa.

Conta um pouco da sua história?
Nasci em Valparaíso no dia 17 de junho de 1970, inclusive o meu nome, Carlos Alberto, foi uma homenagem que minha mãe que torce pro Santos fez por conta do lateral Carlos Alberto Torres, que foi o capitão do tri pela Seleção Brasileira. Tenho apenas uma irmã do segundo casamento da minha mãe, se chama Viviane Pereira Costa e mora em Andradina. Sou casado há 24 anos, tenho dois filhos, o Carlos Henrique que é formado em Ciências Contábeis, e o Jhonatan Felipe que está cursando Engenharia Elétrica na cidade de Cornélio Procópio, na Universidade Federal do Paraná.

Qual é sua formação acadêmica?
Sou bacharel em Letras e Educação Física, com pós-graduação em Avaliação Física. Além disso, procurei me especializar em alguns cursos online com um excelente profissional que é o Rubens Alencar. Ele foi técnico da Seleção Brasileira de futebol feminino e realiza cursos de aprendizagem. Procuro sempre me atualizar para depois conseguir colocar em prática as metodologias esportivas.

Começou a trabalhar cedo?
Trabalho desde os meus 14 anos de idade, iniciei na granja Takagui onde tenho orgulho e agradeço a minha família que sempre me apoiou. A minha mãe, Benilvanda Pereira, junto com a minha avó, Maria Pinheiro, foram guerreiras porque meu pai abandonou a família com minha mãe com três meses de gestação. Então precisei trabalhar desde cedo para ajudar no sustenta da casa.

Quando surgiu a ideia de montar o projeto?
Começou porque meus filhos estavam treinando futsal com o Luizinho e futebol de campo com Tetê e Mingau. Por gostar de esporte e enxerga a oportunidade de transformar vidas resolvi montar um projeto social na quadra do bairro Colina Verde, começou como Projeto de Futsal Geração Futura. Depois que formei em educação física em 2012 comecei a montar um projeto de escolinha de futebol para ser realizado na chácara Recanto dos Esportes. Conseguimos iniciar no dia 12 de outubro de 2013, dia das crianças, sendo que sou devoto de Nossa Senhora Aparecida. Além disso, sem planejar e por coincidência é o dia do aniversário do dono da chácara, meu amigo Eduardo Fernandes.

Está com quantas crianças e como funciona?
Estamos com 120 alunos em diversas categorias utilizando metodologias de futebol que aprendi no curso de educação física e nas especializações. A nossa prioridade é realizar ações lúdicas e social, com ênfase nos principais fundamentos do futebol como linha de passe, treinos para goleiros, organização defensiva e ofensiva, marcação individual e por zona, treinos de ataque e defesa e trabalhos individuais.

Qual é o custo?
O valor é de 35 Reais por criança porque temos que pagar aluguel do campo, funcionários, material esportivo e muitas outras coisas. Aproveito para agradecer nossa coordenadora Vanessa, assim como os auxiliares Claudio Sereia e Rosana.

Teve algum atleta que se destacou?
Tem alguns alunos que tivemos o prazer de treinar e hoje estão buscando seus objetivos em clubes profissionais. Por exemplo, o Marcinho que está no Desportivo Brasil; o Luiz Fagnani que é goleiro do Ituano; o goleiro Henrique que estava no União Barbarense. Não é nosso principal objetivo, mas procuramos dar oportunidade organizando algumas avaliações.

Qual é o seu maior sonho com o projeto?
Tenho o sonho de um dia ter um espaço bem amplo com campo de futebol, vestiário e academia onde conseguirei realizar minhas metodologias sem cobrar nada e ainda aumentar o número de crianças participando do projeto.