Ocorrências: residência furtada, roubo na rodoviária e abandono de incapaz

Ocorrências: residência furtada, roubo na rodoviária e abandono de incapaz

RESIDÊNCIA FURTADA

Uma mulher de 41 anos esteve na delegacia de Mirandópolis na terça-feira (4) informando que no dia 1 de janeiro entraram no quintal da sua residência, reviraram seus pertences, mas nada foi furtado. Ela explicou que tem como costume deixar seu veículo estacionado na rua, em frente a sua residência, sendo que na manhã do dia 4, ao entrar no carro para ir trabalhar verificou que o porta-luvas estava aberto, sendo que fora subtraído sua carteira com dinheiro, cartões bancários e documentos pessoais seu e do filho (RG, CPF e CNH).

Além disso, levaram as chaves do estabelecimento comercial que é proprietária. A vítima confirma que a porta do veículo não estava arrombada, nem o vidro quebrado, não sabendo especificar se havia deixado o veículo destrancado. Contudo, ela acredita veementemente que o trancou.

ROUBO NA RODOVIÁRIA

Um homem de 47 anos compareceu na delegacia na terça-feira (4) declarando que no dia anterior foi roubado no banheiro da rodoviária de Mirandópolis. A vítima informou que estava no local quando um indivíduo chegou por traz e lhe deu uma rasteira, fazendo com que caísse no chão.

De imediato, o indivíduo que deu o golpe e um outro homem tiraram a força a sua pochete que estava em sua cintura e saíram correndo para fora do banheiro. Os ladrões levaram seus documentos pessoais e aproximadamente R$ 400 em dinheiro, assim como uma passagem de ônibus para São Paulo. A vítima não procurou a polícia no momento do fato, indo para a casa de um amigo onde passou a noite.

ABANDONO DE INCAPAZ

Uma senhora de 52 anos foi até a delegacia de Mirandópolis, no dia 27 de dezembro, para informar que seu tio, que tem 88 anos, estava em união estável com uma mulher de 67 anos. Acontece que o tio, que está em tratamento contra a depressão, ligou para seu irmão no dia 15 de dezembro pedindo que viesse busca-lo em sua residência porque a sua mulher iria viajar na madrugada do dia seguinte. O irmão foi até o local e deparou com a vítima na calçada de pijama, apoiado em uma bengala, com uma sacola de mercado com uma peça de roupa.

A casa estava fechada e as chaves estavam com a mulher que supostamente tinha viajado. No sábado, dia 18 de dezembro, a mulher pediu que fossem retirados da residência do casal todos os pertences do marido. Segundo consta no boletim de ocorrência, a vítima fez o testamento e deu alguns cheques de altos valores para a companheira, sendo que em consulta psiquiatra a vítima escreveu uma carta alegando ter assinado os cheques e feito o testamento sob efeito de medicamentos e pede a devolução do dinheiro.


                       
1713753243