Ocorrências da Semana têm reclamação de som alto e estelionato

Ocorrências da Semana têm reclamação de som alto e estelionato

SOM ALTO

Um homem de 58 anos esteve na delegacia de Mirandópolis na segunda-feira (9) explicando que mudou para o imóvel vizinho à sua casa uma família que costuma ouvir por horas músicas em altíssimo volume, sem distinção de horário (manhã, tarde ou noite) e dias (úteis ou não). A vítima relata que o aparelho de som usado fica na garagem que é aberta, na divisa com sua casa, sendo que ele trabalha como motorista muitas vezes a noite, o que atrapalha seu descanso durante o dia. Segundo o homem, já conversou amigavelmente com seus vizinhos, que atenderam em princípio abaixando o volume, mas depois o incomodo voltou. A vítima confirma que outros vizinhos estão perturbados também, mas não quiseram fazer o boletim.

ESTELIONATO VIA WHATSAPP

Uma mulher de 75 anos compareceu na delegacia de Mirandópolis na sexta-feira (6) informando que no dia anterior uma pessoa que se passava pelo seu filho mandou uma mensagem por WhatsApp pedindo R$ 3.987, valor que foi depositado. No dia seguinte fizeram novo contato, ainda se passando pelo seu filho, dizendo que precisava de mais dinheiro, não chegando a mencionar o valor. Desconfiada, ela ligou para o filho e descobriu que caiu em um golpe.

INVESTIMENTO FALSO

Uma mulher de 33 anos registrou na sexta-feira (6) um boletim de ocorrência na delegacia de Mirandópolis onde contou que que teve conhecimento de uma plataforma de investimento financeira, onde investiu R$ 2.504. O valor aplicado seria restituído acrescido de restituição de imposto de renda, conforme prometido pela plataforma de investimento. Contudo, a vítima não teve seu dinheiro devolvido, e ao tentar acessar a plataforma o site estava fora do ar, dando-se conta que caiu em um golpe.

EMPRÉSTIMO FAJUTO

Um jovem de 20 anos foi até a delegacia de Mirandópolis na quinta-feira (5) para contar que recebeu mensagens em seu WhatsApp de uma pessoa que disse ser de um banco oferecendo empréstimo financeiro. A vítima se interessou e, conforme seguiram as conversas, passou seus documentos pessoais e endereço. Após, tal pessoa pediu que ele fizesse uma transferência por PIX de R$ 279 referente a uma parcela do empréstimo. Em seguida, foi pedida a quantia de R$ 799, também paga pela mesma forma pelo jovem. Depois dos pagamentos feitos, a pessoa, que chegou a fazer uma ligação telefônica do mesmo número, disse que iria liberar R$ 5 mil na conta da vítima, o que não aconteceu, constatando ter sido vítima de um golpe.


                       
1716392353