Em resposta aos vereadores Roberto e Grampola, Hospital Estadual diz ter leitos bloqueados por falta de funcionários

Em resposta aos vereadores Roberto e Grampola, Hospital Estadual diz ter leitos bloqueados por falta de funcionários

O Hospital Estadual de Mirandópolis (HEM) informou à Câmara Municipal que possui leitos bloqueados por falta de funcionários como enfermeiros e técnicos de enfermagem. O ofício, assinado pelo diretor da unidade Ciro Renato, é uma resposta ao pedido de esclarecimento dos vereadores Roberto Gonçalves (PDT) e Grampola Pantaleão (PP). 

Os parlamentares questionaram também a unidade de saúde sobre a situação das cirurgias eletivas e do aparelho de videolaparoscopia, que não estariam sendo ofertados aos pacientes. A videolaparoscopia permite ao médico visualizar as estruturas presentes na região abdominal e pélvica, sendo indicada para diagnóstico ou tratamento cirúrgico de condições de saúde, como apendicite, tumor abdominal, hérnia inguinal ou câncer de próstata, por exemplo.

Segundo o Hospital, a unidade disponibiliza de consultas, cirurgias eletivas e exames de imagens como tomografia, Raio X, e ultrassonografia através de agendas disponibilizadas para a Diretoria Regional de Saúde II (DRS-II) de Araçatuba e que a diretoria distribui para os municípios pertencentes à região. Ainda segundo o documento, os pacientes aos quais já tiveram atendimento realizado na unidade estão sendo chamados para cirurgias conforme a disponibilidade de equipe. 

Sobre aparelho de videolaparoscopia, o HEM informou que tem sido utilizado sim, principalmente para cirurgias de urgências e emergências. “E com relação aos aparelhos para a realização de exames citados está sendo proposto um convênio para realizar procedimentos”, afirma o documento, que finaliza: “Os leitos encontram-se bloqueados aguardando reposição de funcionários, principalmente na área de enfermagem como, por exemplo, enfermeiros e técnicos de enfermagem”. No entanto, o HEM não informou no ofício quantos desses leitos estão bloqueados por falta de profissionais. 

No ofício, o diretor da unidade complementa dizendo que o local possui atendimento em pronto socorro de urgência e emergência, com atendimentos referenciados, tendo como principal entrada o sistema do CROSS (Central de Regulação de Oferta de Serviços de Saúde), estando com quadro completo nas áreas médicas de cirurgia geral, ortopedia, ginecologia e pediatria. 

O vereador Grampola Pantaleão afirmou ao jornal que fez contato com deputados estaduais e que vai solicitar a intermediação deles junto ao governador Tarcísio de Freitas (Republicanos) para solucionar a ausência de funcionários da unidade.   

REUNIÃO MARCADA

O jornal questionou a Secretaria de Estado da Saúde sobre a situação desses leitos bloqueados, a quantidade de bloqueio e a previsão da contratação de profissionais no setor. Em nota, o Estado negou bloqueio de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), mas não disse nada sobre os leitos de enfermaria. 

“O Hospital Estadual de Mirandópolis (HEM) Dr. Osvaldo Brandi Faria, que mantém 99 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e Enfermaria em funcionamento, informa que nenhum leito de UTI está bloqueado no momento”, disse o governo. 

Segundo o Estado, os atendimentos estão mantidos em todos os setores da unidade, inclusive no Pronto-Socorro.  A secretaria diz ainda que está prevista, para este mês, uma reunião entre o HEM e a Secretaria de Estado da Saúde (SES) para tratar de questões relativas à unidade.


                       
1709114667