“Sempre vi na política um meio de ajudar as pessoas, por isso vou tentar a reeleição”, comenta Nivaldo Ribeiro

“Sempre vi na política um meio de ajudar as pessoas, por isso vou tentar a reeleição”, comenta Nivaldo Ribeiro

Iniciamos em julho uma série especial de entrevistas com os vereadores de Mirandópolis para fazer um balanço do trabalho realizado na câmara nesses quase quatro anos de mandato. O critério utilizado para escolha foi ordem alfabética, sendo assim o sexto entrevistado é Nivaldo Aparecido Ribeiro, que tem 54 anos e é filiado ao partido Podemos.

Como avalia seu trabalho de vereança nesses quase quatro anos?
Venho mantendo minha média de trabalho. Meu trabalho é escondido, podemos dizer. Então se ajudo alguém ou se consigo uma emenda não fico replicando por todos os cantos essas conquistas. Venho trabalhando da maneira simples e humilde, não vou mudar meu perfil porque nada sobe na minha cabeça. Consegui nos últimos quatro anos quase R$ 800 mil. Tem R$ 257 que é para o Santa Rosa, onde vão fazer uma reurbanização construindo uma área de lazer. Consegui uma ambulância, através de emenda, que está rodando pela cidade. Consegui vários recapes e até um dinheiro visando a pandemia. Classifico como um trabalho bom, sei que critica vai ter, mas estou de cabeça erguida e trabalhando.

Qual conquista acredita ter feito ao longo desses anos que contribuiu para o desenvolvimento da cidade?
A maior conquista, que preciso falar aqui, foi uma indicação para montarmos uma casa de apoio em Barretos. Na verdade, a cidade inteira engajou no projeto, principalmente José Antonio e Dona Carmem, que foram peças fundamentais para dar certo. A cidade comprou a ideia e hoje funciona muito bem. Estou há 25 anos trabalhando na saúde e considero o câncer a doença mais triste. É um projeto de Deus, precisava lembrar porque é algo muito especial.

Fazendo uma “auto-crítica”: O que ficou faltando fazer?
Sou humilde em dizer que ainda tenho muito o que fazer por Mirandópolis, porque sabemos que nem tudo depende só do vereador. Estou aqui para fazer pelo município, quando eles acharem que não é mais minha hora não tem problema nenhum.

Você está no seu quarto mandato, qual o conselho que deixa para quem está buscando seu espaço como vereador?
Na política não andamos sozinho, tem que andar com prefeito, vice e vereadores. Precisa ter boa relação com essas pessoas. O vereador precisa ser e estar ativo, pois é um agente político que precisa estar à disposição da cidade 24 horas por dia, inclusive no fim de semana. O vereador não é só cobrança, precisa apresentar projetos e trazer emendas.

Alguns vereadores citaram a falta de ligação do executivo com legislativo como algo prejudicial para o trabalho. Como enxerga isso?
A nossa cidade é pequena na arrecadação, então tem coisas prioritárias que não tem como o prefeito fazer, precisamos entender isso e ter coerência nas indicações. Como vereador é possível buscar uma emenda e daí direcionar para uma rua. Por exemplo, na Terceira Aliança todo mundo pede asfalto, mas precisa ser verba do estado, que é difícil. Se não tiver boa relação com o prefeito fica difícil trabalhar para o município. Hoje vejo um desgaste forte, não por minha parte, mas cada vereador tem seu pensamento. Se você puxar no histórico vai ver que nunca fiquei me desgastando com prefeito.

Como avalia o trabalho do prefeito Everton Sodario?
Está fazendo a parte dele, como outros fizeram. Por ser novo na política está fazendo um bom trabalho. Algumas promessas que ele fez atrapalham porque o tempo é muito curto, não é fácil fazer. Tem coisa que em um ano, dois anos, não consegue fazer. A arrecadação do município é bem baixa, está sobrando um dinheiro agora porque a pandemia fez com que tivéssemos alguns cortes, mas não sobra dinheiro, é complicado. Mas sempre digo que cada prefeito que passou por aqui deixou sua contribuição para o município, uns mais e outros menos, mas sempre faz algo.

Pensa em reeleição?
Sim, estou firme e forte. Vou colocar meu nome à disposição da população. Tem pessoas que gostam de mim, se não for eleito respeito a vontade da população. Mas se não for para o quinto mandato vou ajudar as pessoas da maneira que posso, não é isso que vai me afastar da população. Sempre vi na política um meio de ajudar as pessoas, por isso vou tentar a reeleição, porque sei que tem pessoas que precisam do meu apoio.

ESPECIAL VEREADORES
– Confira aqui a entrevista do Afonso Carlos Zuin
– Confira aqui a entrevista do Almir Marini
– Confira aqui a entrevista do Carlos Weverton
Confira aqui a entrevista do Matias Evarde
– OBS: Luciano Bersani não concedeu entrevista (entenda a recusa)