Em live, Mirão responde os vereadores e faz acusações; Sodario rebate Comandante via rede social

Em live, Mirão responde os vereadores e faz acusações; Sodario rebate Comandante via rede social

Foto: Reprodução Facebook

Em um vídeo, ao vivo, de quase 30 minutos transmitido em sua rede social, o prefeito Mirão se manifestou após a abertura da Comissão Processante (CP). No início da transmissão, Mirão disse achar “bacana” a iniciativa da Câmara em abrir a Comissão porque, segundo ele, isso provará sua inocência e evidenciará que se trata de um ato político do vereador Afonso. 

“Vou provar para você, Afonso, que não participo de esquemas fraudulentos e você terá que comprovar suas alegações na justiça. Sou um homem de grande integridade e moral na cidade”, afirmou Mirão. Ele expressou ser favorável à investigação, mas ressaltou que um crime deve ser investigado desde o início, e não a partir de um ponto intermediário. Afirmou ter iniciado uma sindicância para investigar as denúncias e declarou não estar preocupado com votos ou eleições, embora tenha mencionado no vídeo que vencerá a eleição deste ano.

Após a sessão da Camara, Mirão gravou uma live afirmando que vai provar sua inocência. Foto: Reprodução Facebook

Em resposta aos vereadores que votaram a favor da CP, chamou a atitude de hipocrisia. Acusou a vereadora Magali de tê-lo convidado a participar de um esquema de corrupção em um concurso público, em troca de um cargo, em 2022. Mirão disse que o pedido de cargo foi feito a ele, que, como vice-prefeito, deveria intermediar junto ao então prefeito Sodario. No entanto, não esclareceu por que só agora fez essa denúncia ou se a fez anteriormente. Por esse motivo, afirmou não aceitar Magali como relatora da CP e disse ter um áudio que divulgaria pela cidade. Até o fechamento desta edição, o jornal não obteve acesso a esse áudio.

Também acusou o vereador Grampola de supostamente ter usado combustível, enquanto era diretor do Saaem (Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Mirandópolis), para abastecer seu carro, afirmando que protocolou a denúncia no Ministério Público e pediu sua cassação na Câmara. Contudo, na época mencionada, Grampola não exercia o cargo de vereador. Procurado pela reportagem, o vereador Grampola informou que se manifestará na tribuna, na próxima sessão, mas disse que seu carro sempre esteve a serviço do Saaem, já que o órgão não possuía à época veículo próprio para a administração, não podendo ele se utilizar dos carros da Prefeitura. 

Na live, Magali disse que esclareceria a situação na próxima sessão, dia 15. Foto: Reprodução Facebook

Em um vídeo na internet, a vereadora Magali disse que esclareceria a situação na próxima sessão, dia 15. “O prefeito mentiu novamente. Farei a denúncia, podem ter certeza de que esclarecerei os fatos. Não sou corrupta. Falarei tudo. Se o senhor tem um áudio, eu tenho muitas provas contra o senhor. Resolveremos isso na tribuna. E não foi em 2022, foi em 2021. Estava ajudando uma pessoa necessitada. Mas deixarei para falar na segunda-feira. Tenho um áudio do senhor que divulgarei na tribuna, onde o senhor me instrui. O senhor se diz honesto, mas eu sou mais”, declarou a vereadora.

SODARIO REBATE COMANDANTE

Em um vídeo repleto de indiretas, claramente direcionadas ao vereador Comandante, o ex-prefeito de Mirandópolis, Everton Sodario, chamou-o de leigo no assunto. “Infelizmente, um vereador que ajudei a eleger, que ficou em terceiro lugar e quase não foi eleito. E, até pouco tempo atrás, esteve aqui em minha casa criticando o atual prefeito”, começou Sodario. 

Sodario usou sua rede social para manifestar sua indignação. Foto: Reprodução Facebook

“Antes de mencionar meu nome, o senhor deveria ter vindo aqui conversar comigo, como sempre fez. Esse vereador, que não trouxe nada para a cidade, agora cita meu nome para votar contra uma investigação. Quem conseguiu o CAPS para Mirandópolis fui eu, durante meu mandato. Fazia 20 anos que Mirandópolis buscava a unidade sem sucesso. Nunca, em meu mandato, assinaria ou autorizaria colocar nome de servidor que não foi atendido ou de qualquer cidadão indevidamente. Se isso aconteceu, certamente deve estar ocorrendo no mandato atual. Esse vereador deve investigar meu mandato também. Estou à disposição para depor nesta Comissão Processante. Se for homem, me chama”, disse o ex-prefeito.


                       
1716483536