Extorsão virtual: mirandopolenses perdem dinheiro ao cair em golpes no WhatsApp

Extorsão virtual: mirandopolenses perdem dinheiro ao cair em golpes no WhatsApp

Com o avanço tecnológico e a popularização das redes sociais, crimes cibernéticos têm sido cada vez mais frequentes. As vítimas são dos mais variados perfis, de jovens a idosos, de pessoas anônimas até comerciantes conhecidos. Em Mirandópolis, os golpes aplicados através de plataformas como o WhatsApp têm feito várias vítimas semanalmente e o estelionato está entre os crimes mais frequentes.

ESTELIONATO VIRTUAL

Uma profissional autônoma de 32 anos compareceu ao plantão policial na terça-feira (11) informando que recebeu uma mensagem em seu WhatsApp que seria supostamente de uma amiga pedindo a quantia de R$ 876 em dinheiro. A vítima, pensando estar ajudando, fez uma transferência via PIX no valor de R$ 500.

A mulher apenas percebeu que se tratava de um golpe após outras pessoas de um grupo em comum no aplicativo dizerem que também haviam recebido o pedido de empréstimo, e por não conseguirem contato com ela passaram a desconfiar.

A vítima entrou em contato com a agência bancária que recebeu o depósito e foi aberto um procedimento para que pudessem estornar o valor depositado e pediram que fosse encaminhado ao banco o comprovante de depósito, as conversas da possível fraude e inclusive que fosse registrada a ocorrência.

Um outro caso aconteceu com um homem de 74 anos que esteve no plantão policial na quarta-feira (12) informando que foi vítima de estelionato. Ele revela que recebeu uma mensagem no WhatsApp na segunda-feira (10) de uma pessoa que se passava pelo seu filho.

O autor da mensagem pedia para a vítima depositar um dinheiro na conta de uma mulher para quitar uma dívida no valor de R$ 4.625. Apenas após ter entregue o valor que conversou com seu filho, com isso percebeu que caiu em um golpe.

No mês passado, um dentista de 57 anos compareceu ao plantão policial relatando que recebeu uma mensagem via WhatsApp de uma pessoa passando pelo seu filho. Segundo relato da vítima, a foto do perfil do contato era realmente do filho e que em nenhum momento desconfiou que pudesse ser um golpe. Durante a conversa, foi pedido uma transferência de R$8,9 mil para que ele pudesse pagar um investimento que havia feito, pois tinha que pagar no dia, e que depois faria o reembolso. O golpista disse que a senha dele estava com problema no banco, por isso recorreu ao pai.

O dentista reforçou que não desconfiou de nada, ainda mais que o filho costuma fazer aplicações. Somente depois da transferência é que veio a mente que teria caído em um golpe, pois depois que fez a transferência a mesma pessoa pediu mais uma quantia em dinheiro. A vítima solicita providências na justiça no sentido de identificar a autoria delitiva e a punição do responsável


                       
1716545158