Ocorrências da Semana têm envelope com droga, loja furtada e estelionato

Ocorrências da Semana têm envelope com droga, loja furtada e estelionato

ESTELIONATO

Um homem de 64 anos esteve na delegacia de Mirandópolis na segunda-feira (19) para contar que há cerca de três meses recebeu uma ligação do Banco Pan. A pessoa disse que havia depositado R$ 10 mil na conta corrente do homem, referente a um consignado que ele havia solicitado. A vítima disse que não havia feito nenhum pedido de empréstimo, no entanto, ao verificar o saldo da conta constatou que a quantia realmente tinha sido depositada. O dinheiro ficou na conta, sendo que há dois meses percebeu que começaram a descontar parcelas do seu benefício de aposentadoria, no valor de R$ 315. Depois de algum tempo recebeu outra ligação, o qual pediu que o homem devolvesse os R$ 10 mil, a fim de encerrar os descontos. Vale ressaltar que a vítima nunca entrou em contato com o banco para solicitar empréstimo ou qualquer tipo de transação. Ele esclareceu que veio registrar o boletim para que as parcelas parassem de ser descontadas e para receber o que foi descontado.

LOJA FURTADA

Um funcionário de uma loja de departamento compareceu na delegacia de Mirandópolis na sexta-feira (16) informando que no período da tarde soube por uma cliente, que um homem havia furtado chocolates do estabelecimento. Ao ter acesso as imagens das câmeras de segurança do local, o representante da loja constatou o furto de dez tabletes de chocolate. O funcionário estima que o prejuízo tenha sido de R$ 109,90. A loja fornecerá as imagens das câmeras de segurança mediante oficio.

ENVELOPE NA PENITENCIÁRIA (foto)

Na quarta-feira (14), por volta das 9h, durante procedimento de revista em encomendas enviadas via correspondência postal na penitenciária Nestor Canoa de Mirandópolis, policias penais encontraram no fundo falso do envelope uma fração de papel semelhante ao entorpecente sintético conhecido como “M4” e cinco comprovantes de depósitos (extratos bancários). Foi instaurado procedimento disciplinar para averiguação de cumplicidade do sentenciado, a quem estava destinado o envelope, o qual foi encaminhado ao pavilhão disciplinar enquanto aguarda a apuração dos fatos. 

FALSO DENTISTA

Um homem de 63 anos foi preso pela Polícia Civil, em Birigui, na terça-feira (20), acusado de exercer a função de dentista sem ter formação profissional. O flagrante foi feito por policiais civis após denúncia anônima. Chegando ao local, os investigadores confirmaram que tratava-se de uma clínica odontológica, sem identificação na fachada. Entrando no prédio, eles flagraram o investigado realizando tratamento dentário em um paciente que estava sentado em uma cadeira de tratamento odontológico. O acusado utilizava instrumentos próprios para o procedimento e ao ser questionado, confirmou que fazia o tratamento dentário no paciente, porém, atuando como estagiário. Ele contou que havia locado a sala da clínica mediante contrato verbal com a responsável, que seria uma mulher. O investigado alegou que estudou odontologia até o quarto ano na faculdade Unorp, em Rio Preto, quando teve que trancar o curso. Por configurar uma contravenção penal, ou seja, um crime de menor potencial ofensivo, foi registrada a ocorrência e em seguida as partes foram liberadas pelo delegado.


                       
1713894873