“Foi Deus que permitiu”, diz Carlos Weverton sobre afastamento de Regina

“Foi Deus que permitiu”, diz Carlos Weverton sobre afastamento de Regina

Em seu discurso de posse como prefeito interino de Mirandópolis na sessão solene desta quarta-feira, 29 de maio, Carlos Weverton Ortega Sanches (MDB) afirmou que a anulação da chapa Regina Mustafa (PV) e José Antônio Rodrigues (SD) determinada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ocorreu por conta da permissão de Deus. O atual mandatário criticou ainda a falta de diálogo da ex-prefeita com a Câmara Municipal e prometeu trabalhar por meio de uma “gestão de coração”, não havendo lugar para o “eu”, e sim para o “nós”.

“Não derrubamos nenhum prefeito para assumir sua cadeira, assim quis a Justiça dos homens, mas só se concretizou por que houve a permissão de Deus. Não haverá lugar para o eu, e sim para o nós. A única solução para o mundo é Deus. Vamos tirar a cidade da mesmice, da inércia que se encontra, com uma política moderna e de resultados, em parceria com a iniciativa privada”, garantiu Sanches.

Carlos Weverton se comprometeu a ouvir os vereadores. “Comigo na frente do Executivo vocês serão ouvidos, afinal, se essa é a casa do povo, vocês são a vontade do povo. Faremos uma gestão de união entre os Poderes, união significa reciprocidade. Quero que os senhores participem dos Poderes, sejam ouvidos, aconselhem, deem exemplos de como podemos melhorar a nossa cidade”, prometeu.

O prefeito interino tomou posse por conta da anulação da chapa eleita Regina/Zé em 2016 por determinação do TSE. Sanches estava como presidente da Câmara Municipal. O acórdão (inteiro teor da decisão) foi publicado no Diário da Justiça Eletrônico na última segunda-feira, 27 de maio.

Na decisão, a corte confirmou o indeferimento do registro de candidatura do vice-prefeito que compôs a chapa e determinou a convocação de novas eleições no município independentemente do trânsito em julgado. O julgamento ocorreu no dia 25 de abril e, por maioria dos votos, os ministros negaram recurso do vice-prefeito José Antônio Rodrigues contra a cassação de seu mandato, determinada pelo Tribunal Regional Eleitoral do Estado de São Paulo (TRE-SP).

Os ministros entenderam que a inelegibilidade de José Antônio contaminou toda a chapa eleita, incluindo a prefeita Regina Mustafa.

Ainda não há data definida para as eleições suplementares no município, que deverá ser elaborada pelo TRE.

Ainda durante a sessão, o vereador Luciano Bersani (PTB) assumiu a presidência da Casa após a saída de Sanches. Com a ausência do edil no Legislativo, assumiu seu suplente Jairo Amorim (MDB), derrotado nas eleições de 2016.

A Câmara Municipal passará a ter a seguinte composição de representatividade de partidos: PTB (um vereador representante); PSDB (um); SD (um); PP (um); PRB (um); PV (dois) e MDB (dois), além do Executivo.

PERFIL

Carlos Weverton Ortega Sanches tem 38 anos de idade, é médico, com especialização em urologia. Ele trabalha também como clínico e cirurgião geral.