Vereador Tiago cobra Carlos Weverton por falta de médico nas UBSs e gastos com paisagismo

Vereador Tiago cobra Carlos Weverton por falta de médico nas UBSs e gastos com paisagismo

A 17ª sessão ordinária da Câmara Municipal realizada nessa segunda-feira, 2 de setembro, ficou marcada pela cobrança do vereador Tiago Soares da Silva (PP) para o prefeito interino Carlos Weverton Ortega Sanches (MDB) por conta da falta de médico em várias Unidades Básicas de Saúde (UBSs). Além disso, o vereador cobrou o interino em relação às despesas da Prefeitura com paisagismo pela cidade como, por exemplo, a grama colocada na praça Manoel Alves de Athayde e de outras plantas instaladas na Rua Rafael Pereira.

“Essa semana fui cobrado por vários munícipes pela falta de médico em várias UBSs. Peço para o nosso prefeito, que tem experiência na área da medicina, que veja o que está acontecendo. É preciso ter médico para atender o cidadão, peço que tome providência”, esbravejou Soares na tribuna, sem dizer quais eram as unidades.

O vereador ainda cobrou o departamento responsável pelas praças da cidade por conta de uma nota fiscal no valor de quase R$ 8 mil a respeito da compra de grama esmeralda. “Quando você vê uma nota dessa aqui (mostrando um papel), você fica chocado, porque poderia estar gastando na área da saúde ou educação. Daí você olha a praça do [bairro] Agostinho Franco, que faz quanto tempo que foi inaugurada? A grama que tinha lá já foi embora, só tem braquiária”, reclamou Soares.

Tiago ainda alertou ao prefeito interino Carlos Weverton sobre as despesas que estão ficando maiores que os recursos arrecadados pelo Município. “Aí você pega uma nota de pagamento e vê escrito: serviço técnico especializado prestação na área de licitação e contrato de R$ 4,7 mil. Fora que ainda tem um diretor que ganha quase R$ 8 mil. Peço que o nosso prefeito interino interfira nessa situação”.

Para encerrar sua fala, o vereador comentou sobre os ipês-roxos e as palmeira triangular que foram plantados na Rua Rafael Pereira. “Ficou a coisa mais linda, mas são quase R$ 7 mil com essas florzinhas. Daí falaram que foi doação, mas quando peguei a nota fiscal, fiquei chocado, porque é muita coisa. Imagina R$ 7 mil em dinheiro? Que o prefeito interfira nessa situação”, completou Soares.

A reportagem entrou em contato com o prefeito interino Carlos Weverton para comentar as cobranças do vereador, mas até o fechamento desta matéria não havia se manifestado.