‘Somos mais que um grupo de motociclistas, consideramos uma família o SP300’, comenta João Mikio, presidente do moto clube

‘Somos mais que um grupo de motociclistas, consideramos uma família o SP300’, comenta João Mikio, presidente do moto clube

Conversamos com João Mikio Miyamoto Júnior, atual presidente do Moto Clube SP300. Filho do saudoso João Mikio, que trabalhava no Banco do Brasil, e Elizabeth Keiko, o empresário de 38 anos que é apaixonado por motos enxerga no SP300 a oportunidade de confraternizar com amigos com passeios e também ajudar o próximo com ações sociais. Confira abaixo a entrevista completa.

Nasceu e cresceu aonde?
Nasci em Tupi Paulista, mas me considero filho de Mirandópolis, pois foi onde passei toda minha vida. Sou filho de João Mikio Miyamoto, bancário que trabalhou por muito tempo no Banco do Brasil (in memoriam), e Elizabeth Keiko de Oliveira Miyamoto, comerciante que por muito tempo foi proprietária da New Vídeo Locadora, sendo que hoje é agricultora na Estância Miyamoto. Tenho uma irmã, Jackeline.

Onde estudou e qual sua formação?
Estudei na escola infantil Vidinha Feliz, depois no Noêmia Dias Perotti e na escola 14 de Agosto. Minhas formações profissionais foram no Senac Araçatuba, no curso de Técnico em Manutenção de Computadores, assim como no Colégio Impacto de Araçatuba, em Técnico em Eletrônica. A vida profissional começou na locadora dos meus pais como atendente e auxiliar de limpeza. Depois de um tempo eles resolveram informatizar a locadora, foi a partir desse momento que comecei a realmente mexer com computadores. Depois ainda trabalhei MS Informática e Valpanet, porém sempre tive um grande sonho de montar minha própria loja e de ser um empresário.

Quando conseguiu realizar esse sonho?
Com ajuda da minha família, que sempre me apoiou, consegui montar a loja Global Infotec (rua Rafael Pereira, 1144) em 2002.  No início realizava trabalhos com vendas de computadores, celulares e assistência técnica. Hoje realizamos serviços de compra e venda de celulares, assistências técnicas nos aparelhos celulares e vendas de produtos eletrônicos. É com muito orgulho que vejo que, aquele sonho que tinha de montar a loja, está completando 18 anos com muito comprometimento aos clientes.

E o SP300, você é o presidente do Moto Clube?
Moto sempre foi uma paixão, desde a minha infância, sempre digo que nasci motociclista. A princípio não tive o incentivo da família, quando andei pela primeira vez em uma moto, lembro de sermões como ‘é perigoso!’ e ‘você vai se matar!’ (risos). A verdade é que está no nosso DNA ser motociclista, não tem jeito. Recordo que minha primeira moto foi uma Titan 150 cilindradas, em 2004, a partir disso comecei a ir nos encontros de motociclistas na região e criar vínculo de amizade com os integrantes do Moto Clube SP 300. Entretanto, só em 2008 tornei um dos membros. Estou há 12 anos fazendo partir dessa família SP300, sendo que em 2018 assumi a presidência

Quantos membros tem o SP300?
Atualmente é formado por 21 pessoas, sempre respondo que mais que um grupo, somos a família Moto Clube. Realizamos uma reunião mensal com propósito de discutirmos ações sociais a serem realizadas e também de confraternizar para unir ainda mais essa grande família. Ressalto que essa amizade permite realizamos vários passeios em nossa região e até em outros estados, onde compartilhamos de uma mesma paixão, a moto. A paixão pelo motociclismo e pelas motocicletas não tem fim. Vemos por aí, motociclistas com 60 anos, 70 anos e até mais, passeando e até realizando longas viagens. Posso dizer com toda certeza que seguirei até o fim da vida a minha paixão pelo motociclismo, amo fazer parte dessa família SP300.

Como funciona a questão social dentro do clube?
O Moto Clube iniciou suas ações sociais em 2001, é importante porque desenvolve um elo direto com a comunidade. Já realizamos encontro de motociclistas que reverteu para entidades, assim como contribuímos ajudando com os membros do moto clube em outros eventos. No final de ano também procuramos presentear crianças nas creches e escolas. Neste ponto posso destacar o quão importante é a implementação das ações sociais, são trocas de conhecimentos e experiências que permitem construir e implementar ações para alcançarmos um Mirandópolis melhor.