Ocorrências: animal silvestre irregular, pix enviado errado e confusão por som alto

Ocorrências: animal silvestre irregular, pix enviado errado e confusão por som alto

ANIMAL SILVESTRE (foto: reprodução internet)

Policiais Militares estavam realizando patrulha por Mirandópolis na manhã de quarta-feira (15) quando avistaram uma ave silvestre nativa na varanda de uma residência, no bairro Colina Verde. Ao fazerem contato com o dono do imóvel, foi constatado que se tratava de uma ave de espécie “Azulão”.

Indagado, o homem, de 62 anos, informou que possui o animal há cerca de um ano, sempre cuidando muito bem do pássaro, porém não possui nenhum tipo de autorização do órgão ambiental. Diante dos fatos, o autor foi multado no valor de R$ 500 com base na lei.

Verificando o estado da ave, foi visto que estava aparentemente em estado bravio, mas em condições de ser reintroduzido ao seu habitat natural, o que foi feito a soltura na estrada rural do bairro Nova Aliança.

PIX ERRADO

Uma mulher de 54 anos compareceu na delegacia de Mirandópolis na quarta-feira (15) informando que foi efetuar um PIX do seu benefício da CAIXA TEM para outra conta própria. Entretanto, ela errou um digito do seu numero de celular, que é a sua chave PIX, e finalizou a transferência.

Tendo em vista que seu dinheiro não caiu, a mulher foi até o banco, onde entraram em contato via WhatsApp com o número da chave PIX para qual o dinheiro foi enviado. A pessoa que atendeu o telefone declarou que não foi ela quem recebeu o PIX. O banco orientou a fazer um boletim de ocorrência para tentar o ressarcimento do dinheiro.

SOM ALTO

Uma mulher de 34 anos esteve na delegacia de Mirandópolis no sábado (11) explicando que constantemente seu vizinho escuta música em som alto por várias horas, tanto de dia como de noite.

No sábado, por volta das 19h30 o vizinho ligou o som muito alto, sendo que a música ficou tocando até 22h30, quando ele abaixou um pouco, mas mesmo assim ele continuou gritando em uma ligação telefônica. A mulher sentiu-se incomodada porque tem crianças em sua casa e todos ficaram ouvindo o homem proferir palavrões.

Neste momento, a mulher ligou para a polícia para dar fim a perturbação, porém ao chegar no local o homem não atendeu os policiais. Com isso, ela foi orientada a vir até a delegacia fazer um boletim de ocorrência.


                       
1719145532