Com déficit mensal, asilo de Lavínia conta com ajuda da população para manter atividades

Com déficit mensal, asilo de Lavínia conta com ajuda da população para manter atividades

Em mais uma edição na série de entrevistas com as entidades beneficentes, filantrópicas ou ONGs que prestam diversos serviços para a comunidade, a reportagem do jornal AGORA NA REGIÃO visitou o asilo da cidade de Lavínia. A Associação de Promoção de Assistência de Lavínia (APAL) conta hoje com 16 idosos.

A entidade possui um déficit mensal de mais de R$ 9 mil e necessita de apoio da população, colaboradores e promoções para fechar as contas. Segundo o presidente do asilo, Lindo Alécio Prato, que concedeu entrevista ao jornal, um dos mantimentos mais necessitados na associação é o leite integral de caixinha, além de fraldas geriátricas nos tamanhos GG e Extra G. “Qualquer tipo de doação sempre é bem-vinda”, afirma.

Quais atividades são desenvolvidas?

Fazemos atividades que melhoram a qualidade de vida dos idosos como shows ao vivo e também todo o serviço de especialidade em saúde como enfermeira padrão, técnicos de enfermagem, assistente social, nutricionista, fisioterapia e de vez em quando fonoaudióloga. Temos também curso de bordado e pintura através da Prefeitura. Colocamos jogos para melhorar a memória deles como o dominó. Estamos preparando um churrasco para eles com show ao vivo, pela segunda vez.

Como funciona o processo para internação?

Existe toda uma triagem através da enfermeira padrão, de assistente social. É feita uma análise da situação e as condições do asilo, que pode receber. Cada idoso contribui com 70% do salário mínimo que ele recebe. Alguns temos a tutela judicial. Utilizamos para os custos com remédio, em saúde em geral, e o que sobra a gente deposita em conta bancária própria de cada um.

Presidente da entidade, Lindo Alécio Prato, diz que maior desafio é manter as contas em dia; déficit mensal chega a R$ 9 mil

E quais mantimentos estão em falta?

Todos. Mas hoje o consumo de leite integral está muito grande porque eles consomem o de caixinha. E alimentação em geral. Leite utilizamos bastante. Uma outra coisa é a fralda geriátrica. Recebemos uma quantia semanal na Prefeitura, mas não é suficiente. Tivemos que comprar e até fazemos campanhas pela cidade para a aquisição de fraldas tamanho GG e Extra G. Qualquer tipo de doação sempre é bem-vinda.

O asilo recebe algum tipo de verba pública?

Sim. Verba municipal, estadual e federal, mas esses recursos não são suficientes. Não cobrem 20% dos gastos que temos. A gente vive fazendo promoções para cobrir as despesas. Hoje mesmo (15) estamos fazendo promoção de doce de goiaba para poder vender. A gente deita pensando como vamos pagar as contas amanhã. Somente de mercado temos um gasto semanal em torno de R$ 600. Tem semana que chega a R$ 1 mil. Há muitos idosos têm uma alimentação especial.

Quais eventos programados para este ano?

Dia 29 de março vamos promover um churrasco para eles com show ao vivo em uma chácara, mas não é para arrecadar fundos, e sim momento de lazer dos idosos. No dia 15 de abril vamos fazer um bazar beneficente com roupas usadas para levantar recursos. Estamos em andamento com uma rifa que vai ser sorteada em 29 de abril.  E maio teremos ainda um show de prêmios. No mesmo mês vai ser realizada a eleição da nova diretoria.

Quais os maiores desafios para a entidade?

Sem dúvida é o financeiro. Levantar recurso é muito difícil. Administrar com verba é fácil, o duro é administrar sem recurso. Todo mês são R$ 9 mil [de déficit]. Não conseguimos ainda a isenção de tributos referentes ao INSS que gira em torno de R$ 8 mil por mês. O nosso leilão de gado é o que mais angaria recursos para a entidade. Esse ano, porém, não foi tão alto por conta do valor do gado. Acho que os órgãos públicos poderiam contribuir mais e também melhor envolvimento da comunidade. Temos um grande apoio, mas ainda não é suficiente. Por ser uma cidade menor é difícil fazermos parcerias porque nosso comércio também é pequeno. E temos muitos doadores que ajudam diversas entidades e causas sociais, então, acaba pesando para eles também.

SERVIÇO

  • Nome: Associação de Promoção de Assistência de Lavínia (APAL)
  • Fundação: 14/02/1975
  • Presidente atual: Lindo Alécio Prato
  • N° de membros: 16 idosos
  • Funcionários: 10 pessoas
  • Endereço: Rua Vereador Dirceu José Magalhães, 457, Centro.
  • Perfil: https://www.facebook.com/asilo.lavinia
  • Como doar: PIX 45.511.458/0001-43 (CNPJ)

                       
1718941538