População pede recursos para transporte de pacientes durante audiência do Orçamento, em Mirandópolis

População pede recursos para transporte de pacientes durante audiência do Orçamento, em Mirandópolis

Por Matheus Batista / Fotos: Rodrigo Romeo

Durante a audiência pública do Orçamento para 2024, promovida pela Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (ALESP) na manhã desta sexta-feira (3), na Câmara Municipal de Mirandópolis, a população local ocupou a tribuna para pedir novas frotas de ambulâncias para o transporte de pacientes da cidade.  

Esta foi a primeira vez que a Comissão de Finanças, Orçamento e Planejamento da Alesp realizou o evento no município. Durante a audiência, o público presente pôde apresentar as principais demandas locais aos parlamentares – que são os responsáveis por analisar e aprimorar a peça orçamentária estadual para 2024.  

Transporte de pacientes

De acordo com o último Censo do IBGE, o município de Mirandópolis chegou, em 2022, a 27.938 habitantes – um aumento de 1,82%. Essa população é atendida pelo Hospital Estadual Dr. Oswaldo Brandi Faria, o único da cidade.  

Durante a audiência desta sexta, munícipes e autoridades de Mirandópolis denunciaram a falta de investimento na estrutura hospitalar e de transporte do município. “Estamos sucateados, temos pacientes que fazem hemodiálise e estão sendo transportados em ônibus escolares”, disse o vereador Afonso Carlos Zuin.  

Também vereadora de Mirandópolis, Mônica Ijichi subiu à tribuna para reforçar a necessidade de verbas para a troca da frota do hospital da cidade. “Nosso transporte não está sendo suficiente para o atendimento da nossa população com qualidade”, afirmou.  

Além de propor as áreas que serão atendidas pelo Orçamento do Estado, os integrantes da Comissão de Finanças da Alesp também podem encaminhar recursos diretos para os municípios, por meio de emendas impositivas. Presidente da CFOP, o deputado Gilmaci Santos (Republicanos) se comprometeu com a destinação de verbas para Mirandópolis. “Vamos trabalhar para conseguir resolver esse problema o mais rápido possível”, disse.  

Demais áreas

Além dos pedidos para a Saúde, a audiência de hoje contou também com solicitações e sugestões voltadas para as áreas da Educação e do Meio Ambiente.  

Diretora do Departamento de Educação de Mirandópolis, Josiane Franco pediu mais investimentos na infraestrutura da cidade e em ações para as famílias. “Educação caminha junto com Cultura e Esporte. É um tripé que faz com que tenhamos pessoas dignas na nossa sociedade. Precisamos fomentar mais atividades no município e para isso precisamos de investimento”. 

Já na área do Meio Ambiente, Roberto Sekiya, diretor do SAAEM (Serviço Autônomo de Água e Esgoto), falou sobre a falta de saneamento nas áreas rurais do município. “Temos quatro bairros rurais aqui em Mirandópolis e até hoje não existe coleta nem tratamento de esgoto. A cidade cresceu muito e o esgoto não suporta mais o volume produzido”, relatou.  

Durante o encontro na Câmara Municipal, moradores de diferentes cidades levaram as principais demandas da Região de Araçatuba. “Ouvindo todo mundo, fazemos um raio-x da região e tudo depende do Orçamento”, disse o deputado Enio Tatto (PT). 

Orçamento

O Orçamento do Estado é definido pela Lei Orçamentária Anual, que será votada pelo Parlamento neste segundo semestre. O documento contempla as despesas e a receita que o Governo Estadual terá à disposição para aplicar nas mais diversas áreas. A previsão é que, para 2024, esta receita seja de R$ 307 bilhões – a segunda maior do país, atrás apenas da União.  

“O Orçamento é a lei mais importante do Estado. Estamos aqui para ouvir a população, o povo de Mirandópolis, que recebe a Assembleia hoje, para que possamos fazer um compilado que será levado para ser discutido na Alesp”, disse Gilmaci Santos. 


                       
1709021171