Mirandópolis, cidade Labor aos olhos da fotografia

Mirandópolis, cidade Labor aos olhos da fotografia

São 86 anos de história. Fundada em 1934 por Manoel Alves de Athaíde, Mirandópolis é formado pela sede e pelos bairros Amandaba e Três Alianças. Com população estimada em 29.564 habitantes, são cerca de 50 bairros nos seus 917.694 km² de território. A cidade faz divisa com os municípios de Lavínia, Guaraçaí, Irapuru, Pacaembu, Junqueirópolis e Pereira Barreto.

BRASÃO E BANDEIRA

Terminada a ditadura de Getúlio Vargas, foi consequentemente revogado o decreto-lei que proibia aos estados e municípios terem seus próprios símbolos, como brasões de armas, bandeiras e hinos. Em Mirandópolis, o responsável pela arte foi o professor Walter Victor Sperandio, ficando então patenteada sua grande capacidade artística, confirmada posteriormente pelos seus trabalhos feitos na cidade. Em 30 de agosto de 1960, a obra foi enviada ao Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo para apreciação, sendo aprovada em 20 de dezembro de 1960.

A bandeira do munícipio também teve cooperação artística do professor Walter para sua execução. O desenho adota como principal elemento o próprio Brasão de Armas do Município, aplicado sobre as cores vermelho e azul.

FOTOGRAFIAS

Roberto Oliveira, fotógrafo de 46 anos, começou a se interessar por fotografia em 1996, em Birigui, onde trabalhava como auxiliar de um fotógrafo local apenas para marcar nomes das pessoas em um caderno. “Sempre gostei de expressar e comunicar com as pessoas, aquilo despertou algo dentro de mim, foi quando comprei minha primeira máquina Zenite e comecei a fotografar. O profissional que eu acompanhava me ajudou a dar os primeiros passos, que foi o Valdir Martins”, lembra Oliveira.

Foto: Roberto Oliveira
Foto: Roberto Oliveira

Já o jovem Caio Costa, de 28 anos, começou a ter seu primeiro contato com a fotografia de forma inesperada em meados de 2019. “Sou comerciante há cerca de três anos, e desde então apenas trabalhava em meu estabelecimento. No ano passado adquiri minha primeira câmera e comecei a fotografar paisagens e animais como um hobby, mais tarde no mesmo ano convidei uma amiga para ser minha modelo fotográfica, mesmo sem técnica ou qualquer pratica, o resultado foi bem legal, daí em diante comecei a estudar e moldar minhas características de edição e composição em busca de um estilo que fosse agradável aos meus olhos. A fotografia virou uma profissão e uma verdadeira paixão”, explica Caio.