‘A região de Araçatuba precisa de uma liderança na assembleia legislativa’, analisa Everton Sodario

‘A região de Araçatuba precisa de uma liderança na assembleia legislativa’, analisa Everton Sodario

Everton Sodario (Patriota), recebeu na terça-feira (29) a reportagem do jornal AGORA NA REGIÃO no Paço Municipal. O encontro foi para falar da sua passagem de dois anos e meio como prefeito de Mirandópolis, assim como da sua saída da função para a disputa de um cargo como deputado estadual. Confira na sequencia o bate-papo.

Você sai do cargo com dever cumprido ou algum projeto ainda não foi concluído?

Há cada dia em que eu estive prefeito nesses dois anos e cinco meses cumpri a minha missão dia após dia. Querendo ou não a administração pública no Brasil é muito burocrática. Tenho emendas que nós conseguimos em 2019 e que conseguimos entregar no final de 2021. Outras coisas que conseguimos há mais de dois anos vamos entregar agora em 2022, então isso faz parte do processo, é parte da administração pública, ela é burocrática desse jeito e é o que trava muitas vezes os municípios.

O que você vai deixar anotado para o Mirão dar uma atenção especial?

Saúde e infraestrutura são duas grandes prioridades. Saúde nós arrumamos muito a casa, quando assumimos tínhamos médicos sem pagamento, remédios há cinco meses sem serem pagos e a falta de médicos nas unidades básicas de saúde. São coisas que não acontecem mais. E a segunda questão é a infraestrutura, tanto no asfalto do município que nós já investimos muito, mas que ainda tem muito para ser feito. Tem os bairros rurais que carecem de pavimentação. Nós estamos deixando encaminhado projetos para a pavimentação de seis quarteirões do Amandaba. Temos encaminhado projetos para fossa séptica da Terceira Aliança, o Mirão já está bastante disposto a regularizar essas questões que são importantes. Nós temos os prédios públicos que ainda carecem de reformas. Estamos iniciando agora o projeto do novo almoxarifado, porque o atual está bastante deteriorado. A ideia é que o novo seja na frente do prédio do Carlos José (Jardim Aeroporto). O terreno é da prefeitura, então estamos iniciando esse projeto. Também estamos com o projeto que vai ser encaminhado da reforma da pista de skate, temos a conclusão da ampliação e reforma da UBS do postão, temos o projeto da compra do prédio do NES, que agora a gente está tentando viabilizar para reestruturar ali a questão do núcleo de especialidades e provavelmente nesse ano a gente já deve enviar para a câmara.

Quando você entrou candidato lá atrás você já tinha em mente essa escalada para candidatura de deputado?

Sempre digo que quando eu entro em alguma coisa é de cabeça. Entrei na vida pública, na vida política, para chegar em Brasília. Não necessariamente em 2022. Quando entramos na vida pública precisamos entender que é preciso aproveitar os momentos. Talvez esse seja o meu momento para ser candidato a deputado estadual. Mas o que eu falo para todos é que independente de eu continuar ou sair da prefeitura sou mirandopolense. A cidade que me deu a oportunidade de estar prefeito foi Mirandópolis, a cidade onde a minha família vive é Mirandópolis, a cidade onde eu fui criado a vida toda é Mirandópolis, então é impossível Mirandópolis sair de mim, mesmo que eu saia daqui, então eu acredito que como deputado, se for agora em 2022, eu posso mais do que como prefeito ajudar a cidade.

Te incomoda quando as pessoas falam, “mas você prometeu que iria cumprir o seu mandato”?

O que eu sempre disse é que eu era candidato para prefeito e que não tinha previsão de sair candidato a deputado. Eu não sai candidato em 2020 como prefeito para ser candidato a deputado em 2022. Sai candidato em 2020 para ser prefeito. A possibilidade de ser candidato a deputado surgiu no decorrer desse mandato e aí é o que eu disse, eu sempre enquanto vida pública tenho que estar aberto às possibilidades oportunidades.

Na sua candidatura para deputado você vai focar inicialmente na nossa região ou vai buscar o estado todo?

Vamos buscar votos em todo o estado, mas a prioridade é a região de Araçatuba. A região de Araçatuba precisa de uma liderança, que seja da nossa região, que tenha de fato condições de chegar até a assembleia legislativa. Se aparecer nesse decorrer de tempo um nome que seja melhor do que o meu, eu tiro o meu nome de cena. O que a região precisa é ter um nome que seja a nossa representação na assembleia, então a minha prioridade é a região para tentar demonstrar que de fato nós de Mirandópolis, Araçatuba e das 43 cidades precisamos ser lembrados pelo Palácio dos Bandeirantes, pela Assembleia Legislativa e até mesmo por Brasília. Chega da gente ser trampolim para paraquedistas que vem buscar voto e depois mandam algumas migalhas para os prefeitos e vereadores, o que é constrangedor e vergonhoso para as autoridades e para a população da região.

Qual a sua expectativa de voto?

Eu tive mais de 12 mil votos na última eleição para deputado. É uma incógnita, não se pode ter certeza de nenhuma votação. Espero o mínimo que eu preciso fazer pelo novo coeficiente eleitoral que são 40 mil votos, então o mínimo que eu preciso é mais que triplicar essa votação da última eleição, mas espero poder fazer muito mais.

Quantos diretores o Mirão vai perder caso você seja eleito?

Na minha equipe atual todos os 18 diretores têm portas abertas comigo na eventualidade de eu chegar na assembleia legislativa. É claro que a grande maioria não pretende ir e de qualquer forma isso, na eventualidade acontecendo, não vai ser feito do dia para a noite, vai ser preparado, assim como o Mirão já disse que pretende manter a equipe. Os diretores na eventualidade de alguns deixarem o governo no final desse ano para subirem comigo para a assembleia legislativa, isso vai ser feito de forma tranquila e conversada, não vai ser nada para assustar o Mirão.

Em caso de não ser eleito, qual o plano B? O que você pensa?

Eu sigo a minha vida. Sou advogado e prefeito eu estou, sempre tive o sonho de prestar concurso para ser delegado de polícia, então eu voltaria a advogar e ai eu vou estudar para ser delegado de polícia. É tudo uma possibilidade, se caso isso aconteça vão ter várias possibilidades, inclusive convites na política. Já há inclusive convites na eventualidade de eu perder, de assessoria e enfim, mas eu não trabalho com a hipótese de perder. Eu tenho certeza que o Mirão abriria as portas para algum departamento, mas esse não é o meu foco, eu acho que até porque eu entendo que na eventualidade de eu sair e não ser eleito, que fiz uma escolha e eu tenho também que arcar com as consequências dessa escolha, então eu acho que é muito mais viável eu seguir a minha vida na iniciativa privada do que por exemplo esperar um cargo aqui de dentro da prefeitura. Não é o que eu espero.

Quer deixar alguma mensagem para os mirandopolenses?

O que eu digo para a nossa população é que eu não tenho a ambição de ter sido ou ser o melhor prefeito da história de Mirandópolis. Eu peço que o próximo prefeito, no caso o Mirão seja muito melhor do que eu, e que o prefeito após ele seja muito melhor do que ele. O que eu quero é ser um marco, que a nossa gestão tenha sido um marco para que Mirandópolis não retroceda, para que não aceite mais desvios, para que não aceite mais falta de gerencia e não aceite mais o abandono que muitas vezes teve. Para complementar, gostaria de dizer que se eu chegar até a assembleia legislativa eu devo isso a Mirandópolis e eu nunca vou me esquecer disso.


                       
1713891679