Raízen inaugura pedra fundamental de sua nova planta de segunda geração em Valparaíso

Raízen inaugura pedra fundamental de sua nova planta de segunda geração em Valparaíso

Consolidando seu plano de expansão com foco em soluções de energia e produtos renováveis, a Raízen inaugurou na terça-feira (11), a pedra fundamental de sua terceira planta de etanol de segunda geração (E2G). Com inauguração prevista para 2024 e investimento aproximado de R$ 1 bilhão, a planta anexa ao Parque de Bioenergia Univalem, em Valparaíso, terá capacidade de produção de 82 mil m³ de E2G por ano.  

Ao todo, serão gerados 168 empregos diretos e cerca de mil indiretos durante a construção da unidade. Além dos investimentos diretos, a nova planta irá fomentar a geração de empregos, o aumento da arrecadação no município e aquecimento financeiro no comércio regional, principalmente em redes hoteleiras, moradias temporárias e restaurantes, durante o período de obras do projeto.  

O E2G é produzido a partir de uma tecnologia proprietária da Raízen, utilizando como insumo o bagaço da cana-de-açúcar, biomassa que é extraída do processamento da cana e produção do etanol de primeira geração (1G) e açúcar. Sendo um biocombustível avançado, ele tem potencial para elevar em cerca de 50% a capacidade de produção de etanol da Raízen, sem necessidade de adicionar um hectare de terra e produzindo cada vez mais litros por tonelada de cana.  

Além disso, sua produção resulta em uma molécula com significativa redução de emissão de CO2, abaixo do etanol convencional. Isso torna o E2G um produto chave na transição energética, podendo ser usado para diversos fins além da mobilidade, oferecendo soluções para aplicação industrial – como matéria prima para a produção de plástico verde, por exemplo –, e versões mais limpas para os combustíveis de aviação e marítimo, reforçando o combate às mudanças climáticas e colaborando de maneira efetiva para reduzir as emissões de gases de efeito estufa em até 86%.  

As quatro plantas deverão estar operacionais entre 2023 e 2024 e terão uma capacidade total de aproximadamente 280 milhões de m³ por ano, dos quais 80% já foram comercializados em contratos de longo prazo. Este marco irá consolidar a Raízen como o único produtor mundial a operar quatro plantas de etanol celulósico em escala industrial, concretizando seu plano estratégico de expansão e ampliando seu portfólio de soluções renováveis, contribuindo de maneira efetiva com o processo de descarbonização de parceiros e clientes e reforçando seu compromisso de redefinir hoje o futuro da energia.


                       
1713892064