‘Já trabalhei com muita coisa, mas me encontrei na estética automotiva e náutica’, diz o empresário Fernando Galdino

‘Já trabalhei com muita coisa, mas me encontrei na estética automotiva e náutica’, diz o empresário Fernando Galdino

Conversamos com Fernando Galdino da Silva, que nasceu em Andradina no ano de 1983. Começou trabalhando como servente de pedreiro com o avô, depois foi camelô, ajudante de cozinha e motorista, até que um dia surgiu a oportunidade de fazer o polimento de uma lancha. O resultado foi impecável, com isso surgiu outros trabalhos, até que decidiu empreender montando a Fernando Polimentos, onde trabalha com estética automotiva e náutica. Confira na sequência a entrevista completa.

Onde nasceu e cresceu?

Nasci em Andradina, no dia 31 de outubro de 1983. Tive uma infância simples, com meu pai (Sabino) trabalhando com comércio de peixes. Aos domingos vendia na feira e minha mãe Edna era dona de casa. Tenho um irmão chamado Rodrigo.

Como foi sua formação escolar?

Comecei meus estudos na escola Francisco Teodoro de Andrade, em Andradina, onde fiquei até a oitava série, passando depois para o JBC onde conclui o ensino médio. Confesso que dei um certo trabalho para meus professores (risos). 

Começou a trabalhar cedo?

Comecei a trabalhar com 15 anos como servente de pedreiro com meu avô. Depois fui vender artigos de pescas no camelódromo, assim como fui ajudante de cozinha em um restaurante da cidade. E nesse meio tempo servi o exército, Tiro de Guerra, saindo com a patente de cabo. Com carteira assinada trabalhei na usina da Gaza, Friboi e por último na Danone, onde entrei como motorista, passando depois a vendedor e por último supervisor.

Como foi sua mudança para Mirandópolis?

Resolvi vim para Mirandópolis por conta do meu relacionamento com a minha esposa. Sou casado com Karina Arradi Galdino e tenho três filhas (Samyra, Maria Eduarda e Esther). Chegando na cidade decidi empreender com a minha empresa Fernando Locações, de vans, que fiquei por cerca de seis anos. Também prestei serviço de motorista para Jocar Turismo, foi quando nasceu o amor pela estética automotiva, pois tomava conta dos ônibus nesse setor. Com o ótimo resultado nos ônibus, o meu patrão na época era o Zezinho da Jocar, me pediu para fazer um polimento em uma lancha que estava na marina JS, em Três Lagoas. Confesso que fiquei muito apreensivo, mas encarei o desafio. 

Fernando, de 39 anos, é natural de Andradina e se especializou em estética automotiva e náutica. Foto: Divulgação

Com esse trabalho iniciou no ramo?

Exatamente, fiz esse serviço e deu muito certo! Tanto é que fui convidado pelos responsáveis pela marina para cuidar das outras lanchas, dai não parei mais.

Como foi o começo?

Sem dúvida o Zezinho da Jocar foi meu grande incentivador, pois mesmo trabalhando com ele eu tinha total apoio para não parar com o polimento náutico. E para melhor atender meus clientes fui em busca de cursos na área da estética automotiva, náutica e aeronáutica. 

Qual é o seu diferencial?

O meu diferencial é o atendimento delivery, posso dizer que sou o primeiro da nossa região a oferecer esse tipo de serviço. Não fico somente em Mirandópolis, eu e meu colaborador, o Lucas, atendemos marinas dos Estados do Paraná e Mato Grosso, assim como temos clientes na cidade de Pederneiras. Com esse modelo de trabalho, onde consigo atender outras cidades, não tenho planos de mudar dessa cidade que tão bem me recebeu.

Quer deixar uma mensagem final?

Aproveito para deixar minha gratidão a Deus por toda sabedoria que vem me dando, pois é devido a isso que venho começando a colher bons frutos. E também minha gratidão aos meus clientes por confiarem em meu trabalho, fazendo com que hoje eu seja reconhecido com o bordão “O brabo tem nome, Fernando Polimentos”. 


                       
1720907289