‘Empreender nunca foi fácil, mas sou realizada trabalhando no meu próprio salão’, comenta Elaine Lopes

‘Empreender nunca foi fácil, mas sou realizada trabalhando no meu próprio salão’, comenta Elaine Lopes

Foto: Eduardo Mustafa

Conversamos com Elaine Lopes de Castro da Silva, que nasceu em Mirandópolis no ano de 1986. Filha de Benedito e Conceição, Elaine começou a trabalhar com 15 anos como manicure, profissão que seguiu por três anos. No ano 2000, se profissionalizou como cabeleireira, montou seu salão e não parou mais. Casada e com uma filha (Kamili), Elaine contou sua trajetória de vida e profissional, confira.

Como foi sua infância?

Nasci e cresci em Mirandópolis, sou filha do Benedito, que trabalhou a vida toda no Esteves, e da Conceição, que sempre cuidou do lar. E tenho uma irmã mais velha, a Suellen. Foi uma infância tranquila, muito saudável, brincando nas ruas.

Onde estudou?

Nossa, passei por várias escolas, mas não foi porque aprontava (risos). Estudei no Noêmia, Edgar e Ebe Aurora.

Quando começou a trabalhar?

A minha primeira oportunidade de trabalho foi como manicure no salão da Cidinha. Fiquei três anos, depois que saí de lá fiz um curso na área de cabeleireira, em Araçatuba, que durou três anos. Foi bem puxado, mas aprendi demais nessa oportunidade, valeu muito a pena todo esforço.

Quando passou a trabalhar como cabeleireira?

Quando estava no último ano do curso recebi o aval da escola para trabalhar, com isso meu pai me ajudou a montar um salão. Estruturamos tudo em casa, lembro que ele investiu o dinheiro que tinha do acerto do Esteves. Isso foi mais ou menos no ano de 2000. Nesse começo lembro que também atendia nas casas das pessoas, era um diferencial que eu procurei oferecer já que estava começando.

E quando montou seu salão?

No dia 10 de dezembro vai fazer 18 anos que estou nesse salão, que é na rua Joaquim Alves Filho, nº 725.

Elaine no salão que fica na rua Joaquim Alves Filho, nº 725.. Foto: Eduardo Mustafa

Como foi empreender?

O começo é muito difícil, posso dizer que nos primeiros anos até pensei em desistir porque são varias dificuldades empreender no Brasil. Mas tive muito apoio dos meus pais, tenho uma gratidão muito grande por eles me apoiarem no meu sonho. Um grande divisor de águas no meu trabalho foi quando fui participar de um evento em São Paulo. Lembro que conheci um método de progressiva feita no laser. Eu nem tinha condição de investir, mas tive a coragem de fazer um empréstimo para comprar os equipamentos, e deu muito certo, ganhei muitos clientes por conta disso e o trabalho deslanchou.

Tem alguma outra especialidade?

Há cinco anos fiz um curso focado na aplicação de mega hair, que continua sendo um grande diferencial do nosso salão. Nessa época investi no mega hair de queratina, ninguém fazia aqui na cidade. Muitos clientes de outras cidades também frequentam o salão por conta disso. Mas aqui fazemos tudo na parte de cabeleireira.

Você é casada? Tem filho?

Casei em 2010 com o Bruno e temos uma menina de 11 anos, a Kamili.

O que representa a família na sua vida?

Tive oportunidade de sair de Mirandópolis, quando meu marido mudou por conta do trabalho até pensamos em mudar para Ribeirão Preto, mas por ser apegado a minha família decidimos ficar em Mirandópolis. E hoje tenho a certeza que foi a melhor escolha para o meu trabalho e minha filha. A família é a minha base, sempre tive um grande suporte dos meus pais. E depois que casei ganhei um grande parceiro e incentivador, que é o Bruno.


                       
1713752902