Vereadores e protetores dos animais se reúnem para debater sobre a causa em Mirandópolis; em entrevista, diretor da Saúde esclarece os questionamentos 

Vereadores e protetores dos animais se reúnem para debater sobre a causa em Mirandópolis; em entrevista, diretor da Saúde esclarece os questionamentos 

Foto: Eduardo Mustafa

Para além da preocupação com o bem-estar animal, o controle ético e humanitário da população de cães e gatos traz benefícios à saúde pública, pois favorece a redução do risco de transmissão de zoonoses como leishmaniose, raiva e esporotricose. Sabendo disso, simpatizantes da causa animal de Mirandópolis se reuniram na segunda-feira (5), na câmara municipal para debater o tema. O encontro contou com a presença de oito vereadores, somente Tiago Soares não esteve presente.

“Somos a voz de quem não tem voz. Estamos aqui hoje para discutir sobre o descaso que a causa animal vem enfrentando em Mirandópolis. Nós somos coadjuvantes de um papel que precisa ser exercido pelo poder publico municipal”, relata Fabiana Pereira, fundadora da extinta ONG Pelotão Animal.

Fabiana revela que tem ido frequentemente ao CCZ (Centro de Controle de Zoonoses) para entender porque as castrações ficaram muito tempo suspensas. “Fui informada que as salas do CCZ estão inadequadas para serem realizadas as castrações no local. Um órgão pediu a regularização do local e a prefeitura ainda não fez nada. Em virtude disso, a castração parou por muitos meses, retornando com algumas castrações em clinicas credenciadas. Estamos vivendo um caos em Mirandópolis onde reflete diretamente na saúde pública. Cuidar dos animais é cuidar do ser humano”, desabafa.

Fabiana Lima foi fundadora e presidente da ONG Pelotão Animal. Foto: Eduardo Mustafa

Entre mais de 30 simpatizantes da causa animal presente na câmara, Renata Dalla Martha Caetano, Presidente da Comissão de Defesa e Proteção animal da 39ª Subseção da OAB-SP, revela que tem questionado o diretor da saúde de Mirandópolis, Vinicius Cunha, por meio de oficio, mas não obtém respostas. “Já mandei diversos ofícios questionando os problemas relacionados a causa animal, mas ele não tem a decência de ao menos me responder. Ele é um péssimo diretor da saúde, eu estou cansando dessa luta, infelizmente, mas vou buscar forças para não desistir de ajudar os animais. Agora me resta ir no Ministério Público falar sobre esse descaso que estamos enfrentando”.

A LUTA DOS PROTETORES

A mirandopolense Maria Helena Batista cuida de 19 gatos em sua residência, assim como de alguns outros animais que ficam na rua. “Precisamos urgentemente de um mutirão de castração, assim como necessitamos de um censo animal para controle da zoonose. Eu castro com o meu dinheiro, inclusive os gatos de rua, para diminuir a proliferação. E um detalhe muito importante, eu já vi pessoas com excelentes condições financeiras levando o gato para castrar gratuitamente pela prefeitura. Sei que não é fácil, mas vocês (vereadores) precisam fiscalizar quem está se beneficiando da castração”, cobra Maria Helena.

Quem também é ativa na causa animal é a mirandopolense Rosana Anhani, que é responsável pela página Patinhas de Rua Mirandópolis no Facebook. “Tenho cerca de 30 gatos em minha casa, fora os animais que cuido na rua. A gente é julgada diariamente por conta desse trabalho que fazemos em prol dos animais, mas colocamos a mão na massa porque não temos respaldo do poder publico”.

A presidente da ONG Gateiras do Brasil, Dominike Mustafa, conta que hoje está com mais de 200 gatos resgatados em seu gatil. “Diariamente me ligam pedindo ajuda para fazer resgate de animais abandonados ou machucados em Mirandópolis, então é complicado fechar os olhos para os animais que precisam da nossa ajuda. Já passei do nosso limite de resgate, mas quem ama o animal não vai virar as costas pela causa. E claro, a castração é a chave principal para diminuirmos essa proliferação, principalmente de felinos”, complementa.

Encontro contou com a presença de oito vereadores, somente Tiago Soares não esteve presente. Foto: Eduardo Mustafa

OS VEREADORES

Os oito vereadores presentes fizeram o uso da palavra para comentar sobre a causa animal, sendo que todos demonstraram preocupação por conta da realidade atual. Segundo Grampola Pantaleão, presidente da Câmara de Mirandópolis, ele foi questionado recentemente pela Fabiana a respeito da falta de castração no município, por isso alinhou esse encontro para debater o assunto.

“Essa reunião foi muito benéfica porque ciente dos problemas vamos em busca de encontrar respostas, e por que não tentar a solução de questões como a readequação do CCZ para voltar a ter castrações no local e a digitalização do cadastro das castrações, pois vivemos conectados e precisamos facilitar alguns processos para justamente melhorar. Assim como entender se existe um conselho municipal de proteção aos animais e as reais condições do castramovel que nunca foi utilizado. E outra questo importante, saber se é possível realizar um censo animal, talvez com ajuda dos agentes comunitários, para um controle mais eficaz. Saímos do encontro com a certeza que temos muito trabalho, e como presidente da câmara vou procurar ajudar no que for possível dentro do legislativo”, finaliza Grampola.

Vinicius Cunha, diretor da Saúde de Mirandópolis. Foto: Arquivo AGORA

O QUE DIZ O DIRETOR DA SAÚDE

O diretor de Saúde de Mirandópolis, Vinicius Cunha, recebeu a equipe do jornal AGORA NA REGIÃO para esclarecer algumas questões relacionadas a causa animal. A entrevista foi solicitada por conta desse encontro dos protetores dos animais com os vereadores, onde os temas foram castração, adequação do CCZ (Centro de Controle De Zoonose), digitalização do cadastro de castração, existência do Conselho Municipal de Proteção Animal, entre outros assuntos. Confira abaixo a entrevista completa.

CASTRAÇÃO EM MIRANDÓPOLIS

“Em 2023, foram realizadas mais de 800 castrações, sendo que a demanda de junho até dezembro está em 349 animais cadastrados na fila de espera, entre cães e gatos. Agora em fevereiro vamos realizar 85 castrações. Os 264 restantes, queremos executar nos próximos quatro meses, com média mensal de 85 castrações. Isso levando em conta que entram novas demandas. A previsão é chegar próximo de zerar em quatro meses. Mas preciso deixar claro que neste momento não temos toda verba garantida, pois sabemos que na saúde acontece de entrar mandado de segurança, entre outros problemas que atrapalham esse fluxo”.

DIGITALIZAÇÃO DO CADASTRO DE CASTRAÇÃO

“Podemos verificar essa possibilidade de criar um cadastro online junto a equipe de protocolo, assim realmente facilitaria a pessoa acessar pelo celular ou computador e fazer o pedido preenchendo todas as informações necessárias. Hoje o processo é totalmente físico, diretamente na prefeitura, mas vou verificar essa possibilidade já que não é um departamento (Protocolo) dentro da nossa pasta”.

ADEQUAÇÃO DO CCZ

“Atualmente as castrações acontecem somente em clinicas credenciadas, pois não podemos realizar no CCZ já que o Conselho Regional de Medicina Veterinária realmente solicitou algumas alterações no prédio. Precisamos montar uma sala cirúrgica, antisala, sala de esterilização, entre outras exigências. O departamento de Obras já tem um projeto pronto, que será enviado logo menos para o CRMV, que analisará se o projeto está aprovado para execução. Se eles derem o OK, vamos iniciar as adaptações. Agora, se eles reprovarem vamos precisar de um novo projeto que possivelmente vai pedir novas construções e dai financeiramente vai ficar complicado de realizar rapidamente. Esperamos resolver isso até o meio do ano, levando em conta que precisamos da aprovação do CRMV”.

CONSELHO DE PROTEÇÃO AOS ANIMAIS

“Pelo que pesquisei aconteceu uma reunião com autoridades e protetores de animais, em 2019, mas não era um conselho, e sim uma comissão para discutir sobre a causa animal. Por ser uma comissão, imagino que não ficou nada registrado em cartório ou ata. Mas volto a reforçar que estamos de portas abertas para criar um conselho ou mesmo uma nova comissão, com ajuda dos defensores dos animais e autoridades. Entendo que é importante, pois não é no grito que as coisas se resolvem, mas na conversa”.

FALTA DE RESPOSTAS 

“Recentemente recebi um ofício da Renata Dalla, Presidente da Comissão de Defesa e Proteção animal da OAB Mirandópolis, que estou dentro do prazo para responder. E será respondido”.

CASTRAMÓVEL

“O castramóvel foi adquirido por meio de uma emenda federal de R$ 150 mil. Entretanto, para que o mesmo seja regularizado para uso, foi realizado um orçamento que ultrapassa o valor de compra. De acordo com normas dos órgãos fiscalizadores, o equipamento necessita de várias readequações. Assim, estamos verificando as possibilidades e qual destinação final será dado ao mesmo”.

CENSO ANIMAL

“O censo animal está em andamento, sendo que estamos contando com apoio dos agentes comunitários da saúde para realizar esse levantamento, tanto na área rural como urbana do município. Assim que for finalizado vamos informar sobre o número de cães e gatos de Mirandópolis”.


                       
1720910232