Escola Caracol fortalece a forma de pensar a Educação com novos projetos para 2022

Escola Caracol fortalece a forma de pensar a Educação com novos projetos para 2022

Toda mudança de hábito acarreta ajustes significativos na vida das pessoas, principalmente em questões emocionais. Mesmo os jovens, que possuem mais facilidade para se adaptarem a outros cenários, sofrem com as diferenças e necessitam de ajuda para encarar o novo. É o caso da pandemia, que transformou a rotina de estudos e trouxe mais um desafio com o retorno às aulas presenciais.

Tânia Rizolli, psicóloga e mantenedora da escola Caracol/Podium Saber, lembra que iniciaram o ano de 2021 de maneira presencial, sendo que depois foi necessário ir para o modo remoto e chegaram ao fim das aulas em dezembro com o ensino inteiramente presencial. “Ao longo do ano, foi preciso lidar com as consequências da pandemia, afinal, mesmo com o avanço da vacinação, era necessário primeiramente discutir as formas de retorno às aulas de maneira segura. Assim, acompanhamos de forma criteriosa a vacinação de todos os funcionários da escola antes de decidir pelo retorno presencial. Após as determinações das autoridades autorizando o regresso às salas de aula, foram feitas reuniões virtuais com os pais e responsáveis para que houvesse orientações quanto ao retorno e as regras sanitárias a serem cumpridas”, explica a mantenedora.

A profissional comenta que a pandemia expôs a necessidade deles equiparem ainda mais a escola com infraestrutura, tecnologias e, fornecer a professores e alunos as habilidades necessárias para se adaptarem a um ambiente digital. Por fazer parte da rede Somos Educação e ter o Ético como sistema de ensino, facilitou bastante, pois eles possuem a plataforma digital Plurall que auxilia o trabalho dos professores e estudantes.

“Os alunos de hoje cresceram em um mundo no qual a tecnologia é um elemento continuamente presente. Com isso, se tem algo que 2021 deixou claro é que a tecnologia veio para ficar na educação, e fizemos  o possível para buscar formação para este novo modelo de ensino, criando novas estratégias pedagógicas, sendo que,um  dos grandes  desafios foi ressignificar as práticas pedagógicas”, define Tânia.

A psicologa ainda reforça que com o retorno às aulas presenciais, foi ainda mais importante desenvolver a empatia dos alunos, buscando ser tolerante em relação aos conteúdos a serem cumpridos, rever as expectativas e objetivos para o semestre letivo.”Também foi necessário  avaliar o aluno, observar aqueles que necessitavam de maior apoio pedagógico, verificar conteúdos e disciplinas a serem priorizados, pensar atividades e estratégias para repor aquilo que não foi alcançado. Enfim, foi um trabalho árduo para os professores e equipe gestora”.

A escoa optou por um retorno presencial gradativo, durante o mês de julho (férias escolares) oferecendo aos alunos plantões de dúvidas, em que professores contratados faziam atendimentos presenciais escalonados com um ou dois alunos por série e por hora (em horários distintos). Em agosto, a primeira questão foi discutir as formas de retornar às aulas de maneira segura. Na ocasião eles optaram pelo escalonamento das turmas durante a entrada, intervalos e saídas. “Com a pandemia, percebemos que muitos pais passaram a acompanhar mais de perto o desenvolvimento de seus filhos. Para o ano letivo 2022, temos o desafio de manter essa aproximação e ter os familiares como aliados dos processos de ensino-aprendizagem”, acredita Tânia.

NOVIDADES PARA 2022

Para 2022, a Escola Caracol/Podium Saber terá novos projetos que irão implementar ainda a forma deles pensarem a importância da Educação. Eles anunciam um Projeto Musical, com aulas de música, canto e instrumentos no contra turno, terão também o Matific, que é uma plataforma de Matemática online que atende  alunos desde a Educação Infantil, a partir dos quatro anos, até o 5º ano do Ensino Fundamental. Assim como darão continuidade ao Projeto Super Autores, que  é uma marca internacional que transforma a imaginação do aluno em um livro,  um projeto pedagógico voltado para o processo de letramento e alfabetização, o que serve como uma ferramenta para a escola, pois promove literacia familiar, interesse pela leitura e escrita e muita criatividade e protagonismo para os alunos

“Com as mudanças sociais que vêm ocorrendo a partir da pandemia, a educação terá o desafio de se remodelar, dando maior ênfase em iniciativas para atender às demandas da sociedade do século 21, trabalhando o desenvolvimento de habilidades como pensamento crítico, aprendizagem independente, resolução de problemas, criatividade entre outras. Por isso,adequar o aprendizado tendo o foco na aprendizagem do que é mais importante, desenvolver as habilidades socioemocionais previstas na BNCC (Base Nacional Comum Curricular), reorganizar conteúdos de acordo com a nova realidade educacional, rever e adaptar objetivos, além de avaliar e criar estratégias de recuperação da aprendizagem, disponibilizar meios tecnológicos e outros recursos de complementação da aprendizagem é essencial.Portanto, 2022 será um ano de muitos desafios!”, finaliza Tânia Rizolli.


                       
1716386252