Colaboradores

Colaboradores

Foto: Vocacional Barnabitas

Diz o ditado popular que “muito ajuda quem não atrapalha”. Ele vale para atividades corriqueiras como também para o plano salvífico de Deus, dentro do qual estamos todos. Evidentemente, a fonte primeira da salvação é o próprio Deus, misericordioso e bom, que criou o ser humano para viver para sempre com Ele.

Somos chamados a essa beatitude, mas o pecado é o empecilho. Como a graça de Deus é multiforme, alguns são privilegiados com dons especiais e por isso podem alcançar patamares mais elevados de virtude e perfeição, o que não quer dizer que os outros sejam destituídos do favor divino – todos recebemos as graças necessárias para chegarmos à salvação. Acontece que nosso livre-arbítrio, nossa inclinação ao pecado e as tentações dificultam nossa inserção nessa realidade maravilhosa que é a comunhão de amor com Deus.

Tendo livre-arbítrio, podemos colaborar ou atrapalhar os planos divinos: todo pecado atrapalha esses planos e toda virtude colabora com ele. Os santos, ainda que privilegiados com graças especiais, usaram seu livre-arbítrio em favor da obra salvífica: são verdadeiros trabalhadores da messe do Senhor. E claro que, embora todos nós cometamos pecados, quem pouco peca já está colaborando com Deus – coisa já muito meritória!

No entanto, somos chamados a ir além: nosso chamado é, lutando contra o pecado, oferecer nossa vida a Deus para que Ele disponha dela como quiser. Assim vivia São Paulo, que diz em sua Carta aos Colossenses (cap. 1, v. 24): “Agora me alegro nos sofrimentos suportados por vós. O que falta às tribulações de Cristo, completo na minha carne, por seu corpo que é a Igreja”.

Que ninguém se envaideça pela vocação de trabalhar para Deus (santo nenhum assim fez) – isso já é um pecado e atrapalha seu plano de amor. Ao contrário, saibamos que, como parte desse plano, cada um recebeu d’Ele uma missão e graças apropriadas; que isso baste para nos trazer consolo e alegria verdadeiros! 

Podemos continuar vivendo como o “homem velho” (cf. Carta de São Paulo aos Efésios, cap. 4, v. 22), podemos simplesmente não atrapalhar e podemos entregar nossa vida ao Senhor, para que ela frutifique como as sementes que caíram em terra boa da parábola do semeador (cf. capítulo 13 do Evangelho de São Mateus).

Sigamos firmes neste tempo favorável do Advento!


                       
1709015218