“Foi a mim que o fizestes”

 “Foi a mim que o fizestes”

Foto: Conhecimentos do Pai

O ódio que o inimigo de Deus tem do próprio Deus é muito maior do que costumamos imaginar ou conceber, e é voltado também à criação. Aos que estão no caminho da perdição – largo, fácil e prazeroso – esse ódio é disfarçado, razão pela qual muitos não acreditam na existência do diabo. Mas aos santos, aos que trilham o caminho da salvação – estreito e árduo –, àqueles que Deus elegeu para alguma obra e também aos inocentes, a estes o ódio e a fúria demoníacos se revelam com mais nitidez.

Queridos irmãos, não nos enganemos: a agenda planejada e em partes implementada para que o aborto seja normalizado é uma obra satânica que visa atingir a Deus por meio de suas criaturas – e também, claro, atingir as próprias criaturas. Pois como explicar a sanha desenfreada para que um crime tão hediondo seja aprovado pelas vias legais? Como ser indiferente a atos tão atrozes, especialmente aos mais inocentes? E portanto, como não suspeitar das artimanhas lingüísticas de quem afirma ser o infanticídio uma questão de “saúde pública”, e acreditar que essa gente pérfida esteja preocupada com a saúde das mulheres se grande parte dos bebês abortados são meninas?

Parece que o primeiro hospital que ofereceu o maldito procedimento abortivo foi inaugurado em 1989 na cidade de São Paulo, então governada pela prefeita Luiza Erundina, à época afiliada ao Partido dos Trabalhadores (PT), e a desculpa era oferecer um serviço às mulheres vítimas de estupro. Lembram-se daqueles candidatos a cargo público que se achegam com um sorrisinho maroto e promessas floreadas? Pois bem, é assim que satã e seus cupinchas humanos vão se instalando: na surdina, com voz aveludada, pose de humildade e falso senso de justiça, ludibriando os incautos e despreparados. São lobos em pele de cordeiro.

Essa gente e essas iniciativas são regadas a muito dinheiro de fundações internacionais, sem o qual poucos meios de ação seriam possíveis, pois a população brasileira é majoritariamente contrária ao aborto. Em contrapartida, somos uma população majoritariamente propensa a cair nas mais diversas empulhações, consequência da preguiça ao estudo, à formação e à oração frequente e profunda. Por isso, voltemos à exortação de São Pedro em sua Primeira Carta: “Sede sóbrios e vigiai. Vosso adversário, o demônio, anda ao redor de vós como o leão que ruge, buscando a quem devorar. Resisti-lhe fortes na fé.” (cap. 5, vv. 8-9). Assim, queridos irmãos, fiquemos firmes! Digamos não ao aborto e sim à vida, nos lembrando das benditas palavras ensinadas pelo Senhor no Evangelho de São Mateus (cap. 25, v. 40): ‘“Em verdade eu vos declaro: todas as vezes que fizestes isso a um destes meus irmãos mais pequeninos, foi a mim mesmo que o fizestes’”.


                       
1719199795