Aulas retornam presencialmente na rede estadual, municipal e particular de Mirandópolis

Aulas retornam presencialmente na rede estadual, municipal e particular de Mirandópolis

Os alunos da rede estadual tiveram o ensino presencial retomado na última quarta-feira (2), e apesar de manter os protocolos de segurança contra a covid-19, neste novo ano letivo as escolas estaduais deverão seguir também uma nova norma estabelecida pela Secretaria da Educação do Estado de São Paulo (Seduc-SP), a resolução Nº9, de 28-01-2022.

De acordo com a diretora da escola Dr. Edgar Raimundo da Costa, Maria José Zamboti, a partir do segundo bimestre será necessário que os alunos apresentem a carteira de vacinação atualizada, como forma de mapeamento das escolas em relação ao índice de imunização dos alunos.

“Esta medida está sendo adotada para que a escola tenha o conhecimento de quantos alunos já estão vacinados, portanto os alunos que ainda não tenham recebido as doses da vacina não serão impedidos de estudar”, explica Maria José.

O protocolo de segurança de volta às aulas mantem ainda o uso de máscaras nas dependências da escola, sugerindo a troca de máscara a cada duas horas e também a aferição de temperatura e higienização das mãos na entrada. Além disso, as escolas também recomendam que neste momento cada aluno leve sua garrafa de água e não realize o compartilhamento de objetos pessoais e de alimentos.

Caso sejam apresentados sintomas gripais durante o dia de aula os pais ou responsáveis serão comunicados para busca-lo e caso a família ou o próprio aluno esteja com algum caso positivo ou suspeito de Covid-19, o mesmo deve permanecer em isolamento domiciliar e comunicar a Gestão Escolar.

NOVO ENSINO MÉDIO

Aprovado em 2017, o novo modelo de ensino médio deve ser implantado de forma gradativa em todas as escolas públicas e privadas do país. O novo modelo da grade curricular será inicialmente aplicado aos alunos matriculados no primeiro ano do ensino médio, em seguida às turmas do segundo e terceiro ano, respectivamente.

Alguns pontos previstos no novo formato é o aumento de horas letivas anuais, uma mudança na grade curricular e até o objetivo do próprio ensino médio, que passará a ser visto como uma preparação para o mercado de trabalho, devido a integração de matérias técnicas.

Na escola ‘14 de Agosto – COC Mirandópolis’ as aulas foram retomadas nos dias 24 e 25 de janeiro e desde então o novo formato já vem sendo aplicado com os alunos matriculados no primeiro ano do ensino médio.

“Para o primeiro ano a mudança foi muito grande, porém a nossa escola já fazia desde sempre suas mil horas aula ao ano no ensino médio portanto em relação a carga horária não tivemos modificações, o que aconteceu foi uma mudança na grade curricular. Neste ano nós estamos oferecendo pelo menos uma aula de cada componente das áreas do conhecimento e já nos itinerários formativos oferecidos, que são dois, as matérias aumentaram bastante na grade curricular dos nossos alunos, seguindo todas as determinações governamentais e legais”, conta a diretora pedagógica, Ellen Veroneze.

EDUCAÇÃO ESPECIAL

Já na escola de educação especial da Associação de Pais e Amigos Excepcionais (APAE) de Mirandópolis, as aulas foram retomadas no dia 24 de janeiro, com o modelo de ensino totalmente presencial.

De acordo com a coordenadora pedagógica, Jozimara Nogueira Carbello, na primeira semana do ano letivo os estudantes contaram com atividades de acolhida e interação com a comunidade escolar.

“Inicialmente, estamos desenvolvendo um Projeto de Prevenção ao Coronavírus, com o objetivo de retomar os cuidados básicos de higiene e os protocolos de segurança. Os pais tiveram a oportunidade de assistir a uma palestra sobre saúde mental, dirigida por uma equipe de saúde do município”, revela Jozimara, informando ainda que, durante todo o ano letivo os alunos contarão também com diversos Projetos Pedagógicos ofertados com o objetivo de desenvolver as habilidades funcionais nas áreas de comunicação, autocuidado, vida familiar, vida social, autonomia, saúde/segurança, lazer/trabalho, entre outras habilidades acadêmicas, com base no currículo paulista e foco no currículo funcional natural.

“Nesse ano, iniciamos uma turma no Programa de Educação Especial para o trabalho, que atenderá 12 alunos entre 15 a 29 anos, propiciando a aquisição de habilidades e competências, visando a sua inclusão no trabalho e ao exercício pleno da cidadania, por meio de atividades educacionais que capacitam para o primeiro emprego. Nós também ampliamos o número de salas que atendem os alunos com Transtorno do Espectro Autista (TEA) associado à Deficiência Intelectual, no total são 4 salas de aula com 4 a 6 alunos por turma”, finalza a coordenadora.