A Senhora da vitória

A Senhora da vitória

Foto: FreePik

Como dito nos dois últimos artigos, intenta-se descriminalizar o aborto no Brasil por meio de uma ação movida no Supremo Tribunal Federal (STF) pelo Partido Socialismo e Liberdade (PSOL). Tal ação é uma ADPF (nº 442) – ‘Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental’ –, mecanismo que visa reparar uma lesão imposta (ou evitar uma possível) a um preceito fundamental de alguém ou algum grupo, causada por um ato do poder público. A alegação, espúria, é de que as mulheres gestantes são lesadas porque, se abortarem seus filhos, tornam-se rés de crime. Ora, uma pessoa que assassina outra não deve pagar pelo seu ato, ainda mais quando mata um ser inocente e indefeso?

Não é casual que o mesmo PSOL, junto com outros grupos e partidos, apoia o grupo terrorista Hamas, que na última semana assassinou covardemente centenas de pessoas em Israel – estopim para mais uma guerra. Na segunda-feira (9), o mesmo grupo terrorista degolou a cabeça de 40 bebês israelenses, parece que queimando alguns ainda vivos.

Não é de hoje que ocorrem essas infâmias todas, regadas a interesses sórdidos, muito dinheiro, estratégia e propagandas internacionais; e a despeito da enorme e complexa rede de grupos, ideologias e conchavos envolvidos, a raiz mais remota disso tudo é mesmo o ódio e a inveja que satanás e seus demônios têm de Nosso Senhor, da Virgem Maria, dos Anjos, dos Santos e da Igreja. Todos os seres humanos que trabalham para isso são ferramentas úteis para ofender a Deus, e queimarão no fogo terrível do inferno se não se arrependerem sinceramente de seus crimes – os demônios a quem eles servem nesta vida serão seus algozes na outra.

Mas a solução já está dada: a Virgem Maria, criatura mais excelente de Deus, sem mancha alguma de pecado, por sua humildade foi coroada como Rainha do Céu e da terra. E porque assim Deus quis, é justamente por meio d’Ela que virá a vitória sobre as forças do mal. Ela mesma proclamou: “Por isso, desde agora, me proclamarão bem-aventurada todas as gerações, porque realizou em mim maravilhas aquele que é poderoso e cujo nome é Santo” (Evangelho de São Lucas, cap. 1, vv. 48-49).

Tendo celebrado a solenidade de Nossa Senhora Aparecida, Rainha e Padroeira do Brasil, se queremos a vitória sobre todo o mal, recorramos à Mãe de Deus e nossa, pois é Ela quem pisará na cabeça da serpente.


                       
1709058334