Para a glória divina

Para a glória divina

Foto: Liturgia das Horas

A Festa do Batismo do Senhor, celebrada em 8 de janeiro, nos remete ao nosso Batismo. Embora com efeitos distintos, ambos foram realizados por meio de um rito: São João Batista imergia os batizandos nas águas do rio Jordão, e nós cristãos, ou fomos também mergulhados na água abençoada (Batismo por imersão) ou recebemos um pouco dela sobre a cabeça (Batismo por infusão). O Batismo de Jesus não Lhe imprimiu caráter – pois Ele já era Deus desde sempre –, mas o nosso, sim: por meio dele nos tornamos filhos de Deus Pai, templos do Espírito Santo e membros do Corpo Místico de Cristo.

Na liturgia, é com a Festa do Batismo de Jesus que se encerra o tempo do Natal e se inicia o chamado tempo comum. Até 1969, as normas litúrgicas estendiam o tempo natalino até a Festa da Candelária, em 2 de fevereiro, em que se celebra a apresentação de Jesus no templo e a purificação de Maria (um ritual prescrito na lei mosaica para as mulheres e cumprido por Nossa Senhora mesmo sem precisar de qualquer purificação, pois foi sempre pura e santa, repleta da graça de Deus).

E agora, voltando ao tempo comum, não devemos nos esquecer da encarnação de Jesus, que deu um significado novo à corporeidade humana. É como nos ensina a segunda leitura da liturgia deste fim de semana, da Primeira Carta de São Paulo aos Coríntios (cap. 6): “Porventura ignorais que vossos corpos são membros de Cristo?” (v. 15). “Ou ignorais que o vosso corpo é santuário do Espírito Santo, que mora em vós e que vos é dado por Deus? E, portanto, ignorais também que vós não pertenceis a vós mesmos?” (v. 19). Após o Batismo, fomos enxertados no Corpo de Cristo, que é puro e santo.

Recordando o presépio, imaginando a cena do Batismo do Senhor ou revendo fotos do nosso Batismo, peçamos a Deus, neste ano, a graça de fugirmos dos excessos e dos vícios. Muitos aproveitaram as festas de fim de ano para cometer pecados, mas nós preferimos seguir a vontade divina e manter o equilíbrio e a sobriedade. Sigamos a recomendação de São Paulo no mesmo texto aos Coríntios: “De fato, fostes comprados, e por preço muito alto. Então, glorificai a Deus com o vosso corpo” (cap. 6, v. 20). Que o nosso corpo, marcado o selo batismal, seja ofertado para a glória do Senhor.


                       
1709018369