Parte 2: Porque os casamentos acabam?

Parte 2: Porque os casamentos acabam?

Essa é a segunda edição de nossa série ‘Porque os casamentos acabam?’, na primeira parte falamos sobre a falta do diálogo (veja aqui), imagino que vai ser bom para você compreender o propósito desse assunto tão importante.

Sei que o assunto casamento diz respeito a muita coisa, mas vamos nos concentrar aqui nas mais comuns, práticas recorrentes que fazemos às vezes sem perceber, mas que vai criando um efeito de ‘ondas’ no relacionamento. Já jogou uma pedra na água? Onde ela bate se forma uma onda pequena, só que depois vai aumentando. No relacionamento às vezes se torna até um tsunami.

Aqui vamos agir para prevenir o máximo possível que falhas ocorram, segundo a palavra de Deus, e é possível. Nesta segunda edição gostaria de falar com você sobre a ‘falta de investimento’ no casamento, e isso não tem a ver com dinheiro, mas com prioridades. É sabido que o casamento é uma conquista, a bíblia mesmo diz: “Quem encontra uma esposa, encontra algo excelente; recebeu uma bênção do Senhor.” – Provérbios 18:22.

Com isso, a conquista se torna prazerosa até o momento que conseguimos ‘conquistá-la’, entendeu? Vou explicar novamente. Na vida geralmente colocamos metas, e o relacionamento é uma delas. Namoro, noivado e casamento, é assim que a maioria das pessoas se programam, é assim que a bíblia ensina: “Por essa razão, o homem deixará pai e mãe e se unirá à sua mulher, e eles se tornarão uma só carne.” – Genesis 2.24.

Mas esse sentimento de ‘conquista’ pode se tornar um problema também, isso ocorre quando vem o sentimento de ‘missão cumprida’ ou ‘objetivo atingido’, e o relacionamento vai se tornando obsoleto, entregue a rotina.

A falta de investimento no casamento é um sintoma muito grave do porquê ele acaba, pois esse é o momento em que nossas prioridades mudam, dando lugares a produtos e bens materiais, entre outros. Quando o casal não investe na relação, consequentemente surgem outros problemas secundários, como o tédio e a pouca atividade sexual. Por isso, muitas pessoas acabam optando pela separação. 

Investir no casamento é quando entendemos e atendemos às necessidades das pessoas da relação, investindo tempo, atenção, respeito e muito amor. Não podemos deixar nossas prioridades serem alteradas, para um casal que serve à Deus, sua lista de prioridades na vida devem ser Deus, família, trabalho, etc.

Levar a sua esposa para jantar, presenteá-la, lembrar das datas importantes para o casal, dizer que a ama com frequência e elogiá-la, não deve ser uma raridade, mas sim frequente. A mulher também ser uma boa dona de casa, ser uma incentivadora de seu marido, estar sempre que possível bem apresentável e ajudar seu parceiro a administrar sua renda, são exemplos que devem ser praticados sempre, mesmo que não correspondido.

Invista no seu casamento, como dissemos na primeira edição, invista no diálogo, participe de cursos para casais, não troque suas prioridades para justificar problemas, como por exemplo ter que trabalhar dobrado e não ter tempo para seu parceiro ou sua parceira, tire um tempo para vocês semanalmente e se aproximem de Deus juntos.

O casamento é como uma planta. Se não aguar, podar, colocar na luz, limpar, não vai crescer e se desenvolver. Não quer perder seu maior investimento? Cuide dele! Para isso busque a palavra de Deus, não tem lugar melhor para nos ensinar como investir em nossa família.

Desfrute a vida com a mulher a quem você ama, todos os dias desta vida sem sentido que Deus dá a você debaixo do sol; todos os seus dias sem sentido! Pois essa é a sua recompensa na vida pelo seu árduo trabalho debaixo do sol – Eclesiastes 9:9.

“Que o Senhor te abençoe e te guarde; o Senhor faça resplandecer o seu rosto sobre ti, e tenha misericórdia de ti; o Senhor sobre ti levante o seu rosto e te dê a paz!”

SÉRIE COMPLETA:


                       
1716386879